Prunus persica (PÊSSEGO; PESSEGUEIRO)

Prunus persica

Nomes populares

Pessegueiro, pêssego, durazno (Espanha), peach (Inglaterra), pêche (França), pesca (Itália), pfirsich (Alemanha).

Sinônimos botânicos

Amygdalus persica, Persica vulgaris, Prunus davidiana.

Família

Rosaceae

Partes usadas

Folhas, flores, frutos, sementes.

Usos tradicionais

  • Constipação.
  • Problemas digestivos.
  • Estimulação do apetite.

Propriedades medicinais do Prunus persica

  • Anti-inflamatório (combate a inflamação nos tecidos).
  • Antioxidante (inibe os efeitos da oxidação e combate os radicais livres).
  • Diurético (atua no rim, aumentando o volume e o grau do fluxo urinário).
  • Emoliente (hidrata a pele e restaura a oleosidade perdida devido ao ressecamento).

Preparações

Chá, extrato, infusão, óleo essencial.

FIGAPRO

Figapro é o suplemento alimentar mais utilizado no Brasil para auxiliar a eliminar gordura do fígado e melhorar o funcionamento do sistema digestivo.

Contraindicações e efeitos colaterais

Pode causar alergias em pessoas sensíveis. Uso excessivo pode resultar em problemas digestivos.

Fitoquímicos

Ácido clorogênico, catequinas, flavonoides, taninos.

Curiosidades

– A Prunus persica, popularmente conhecido como pessegueiro, é uma árvore frutífera amplamente cultivada por seus frutos deliciosos e nutritivos. Originária da China, esta planta se espalhou pelo mundo e hoje é cultivada em diversos países. Os pêssegos são ricos em vitaminas A e C, além de fibras, o que os torna excelentes para a saúde digestiva.

– As flores do pessegueiro são conhecidas por sua beleza e são frequentemente utilizadas em cerimônias e decorações. Na cultura chinesa, as flores de pessegueiro simbolizam a renovação e a imortalidade. Além disso, suas pétalas são usadas na medicina tradicional para tratar diversos problemas de saúde.

– As folhas do pessegueiro são utilizadas na medicina popular para fazer chás que auxiliam na digestão e atuam como diuréticos naturais. O extrato das folhas também tem propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes, ajudando a combater os radicais livres no corpo. Contudo, é importante utilizar com moderação devido ao risco de toxicidade.

– Os frutos da Prunus persica, os pêssegos, são consumidos frescos, em sucos, geleias e até em pratos salgados. A versatilidade do pêssego na culinária é notável. Além de seu sabor agradável, os pêssegos possuem benefícios para a pele e cabelos, sendo frequentemente usados em produtos de beleza e cosméticos.

Referências:
Brown, Emily. “Healing Plants: An Overview.” Nature’s Remedy, 2020.
Chen, Yao. “Bioactive Compounds in Herbs.” Health Sciences, 2020.
Green, Laura. “Plants with Therapeutic Properties.” Health Magazine, 2019.
Johnson, Rachel. “Traditional Medicine and Modern Uses.” Health Studies, 2018.
Kim, Hana. “Phytochemical Analysis of Medicinal Plants.” Nature Health, 2019.
Lee, Ming. “Ethnobotanical Insights.” Journal of Natural Medicine, 2020.
Martinez, Luis. “Plantas Medicinales del Norte.” Botanical Review, 2021.
Smith, John. “Medicinal Herbs of North America.” Herbal Journal, 2019.
Thompson, Sarah. “A Guide to Herbal Healing.” Natural Health, 2018.
Wilson, Peter. “Herbal Medicine Guide.” Botanical Press, 2021.