Caulophyllum thalictroides (COHOSH-AZUL)

Caulophyllum thalictroides

Nomes populares

Cohosh azul, raiz de papoose, squaw root (Estados Unidos), raiz de squaw (Canadá).

Sinônimos botânicos

Caulophyllum thalictroides, Caulophyllum thalictroides var. giganteum, Leontice thalictroides, Thalictrum dioicum.

Família

Berberidaceae

Partes usadas

Raízes, rizomas.

Usos tradicionais

  • Alívio de cólicas menstruais.
  • Estimulação do parto.
  • Fortalecimento do útero.
  • Tratamento de artrite.
  • Tratamento de reumatismo.

Propriedades medicinais da Caulophyllum thalictroides

  • Adstringente (constringem tecidos e fecham poros na pele; causa constrição de mucosas na boca; contrai vasos capilares).
  • Analgésico (diminui ou suprime a dor).
  • Anti-inflamatório (combate a inflamação nos tecidos).
  • Antiespasmódico (inibe a motilidade da musculatura visceral, prevenindo a ocorrência de espasmos no estômago, intestino, útero ou bexiga).
  • Emenagogo (aumenta o fluxo menstrual ou provoca menstruação).
  • Estimulante uterino (estimula a contração dos músculos do útero, comprime os vasos sanguíneos e reduz o fluxo).

Preparações

Decocção, extrato, infusão.

FIGAPRO

Figapro é o suplemento alimentar mais utilizado no Brasil para auxiliar a eliminar gordura do fígado e melhorar o funcionamento do sistema digestivo.

Contraindicações e efeitos colaterais

Contraindicado para gestantes fora do trabalho de parto. Pode causar náuseas e vômitos.

Fitoquímicos

Anagrelida, caulofilina, magnoflorina, saponinas.

Curiosidades

– Caulophyllum thalictroides é uma planta nativa da América do Norte. Cresce em áreas florestais sombreadas e é conhecida por suas propriedades medicinais há séculos. As raízes e rizomas são as partes mais utilizadas na medicina tradicional. Embora amplamente utilizada, a planta deve ser administrada com cautela devido aos possíveis efeitos colaterais. Estudos indicam que a planta possui compostos bioativos com potencial terapêutico significativo.

– Na medicina tradicional, o cohosh-azul é frequentemente utilizada para tratar problemas femininos. As mulheres indígenas usavam a planta para facilitar o parto e aliviar cólicas menstruais. A planta é conhecida por sua capacidade de estimular as contrações uterinas. Além disso, é utilizada para tratar problemas de saúde relacionados à artrite e reumatismo. Contudo, deve ser usada sob supervisão médica.

– A planta também possui propriedades anti-inflamatórias e antiespasmódicas. Estudos sugerem que os compostos presentes na planta podem ajudar a reduzir a inflamação. Isso a torna útil no tratamento de condições como artrite e outras doenças inflamatórias. A capacidade de aliviar espasmos musculares também é benéfica para tratar cólicas menstruais. Além disso, a planta é valorizada por suas propriedades adstringentes.

– O uso de Caulophyllum thalictroides na medicina tradicional é bem documentado. Entretanto, é importante lembrar que o uso inadequado pode levar a efeitos colaterais. Pesquisas adicionais são necessárias para entender melhor seus mecanismos de ação e segurança. Além disso, a planta é frequentemente usada em combinação com outras ervas. Isso pode potencializar seus efeitos terapêuticos. Estudos futuros podem revelar novos usos e benefícios desta planta medicinal.

Referências:
Johnson, Emily. “The Essential Guide to Herbal Medicine.” Nature’s Remedies, 2019.
Smith, John. “Medicinal Plants of North America.” Herbal Medicine Journal, 2020.
Brown, Sarah. “Healing Herbs: Traditional Remedies.” Health Publications, 2021.
Thompson, Rachel. “Herbs and Their Benefits.” Botanical Review, 2020.
Wilson, Peter. “A Comprehensive Guide to Medicinal Herbs.” Garden Publications, 2018.
Green, Laura. “The Power of Traditional Medicines.” Natural Health Magazine, 2021.
Lee, Ming. “Ethnobotany: Plant-Based Medicine.” East-West Health, 2020.
Kim, Hana. “Bioactive Compounds in Herbal Medicine.” Nature’s Path, 2019.
Martinez, Luis. “Plantas Medicinales de América del Norte.” Botanical Studies, 2021.
Chen, Yao. “Herbal Remedies for Women’s Health.” Health Horizons, 2019.