Viburno: benefícios e propriedades medicinais

O viburno (Viburno prunifolium) é uma planta medicinal também conhecida como viburno-americano, viburno-doce, espinheiro-negro, abrunho-americano, blackhaw viburnum e cranberry (inglês). Inclui as espécies Viburnum lentago, Viburno trilobum, Viburnum edule e Viburnum opulus. Pertence à família Caprifoliaceae.

Benefícios do viburno

O viburno é utilizado há séculos na medicina natural e suas propriedades medicinais começaram a ser exploradas pelos nativos americanos, que usavam a planta para o tratamento de dores menstruais, bem como no período de recuperação pós-parto. Seus princípios ativos mais populares são: viburnina, escopoletina (substância química que age como um poderoso relaxante uterino), tanino, aesculetina e salicina (substância precursora da Aspirina que foi transformada em ácido acetilsalicílico pela primeira vez pelo químico Felix Hoffman em 1897).

Devido as suas substâncias, a viburno é bastante indicada para pessoas que sofram de dores musculares, principalmente na região pélvica e das costas, razão pela qual é muito utilizada por atletas de alto rendimento. Recentemente, diversos estudos têm demonstrado outras utilizações para o componente, incluindo o combate de cólicas no sistema digestivo. Além disso, também é muito indicada para mulheres pois, ajuda a amenizar os sintomas da TPM, bem como da menopausa, reduzindo também a intensidade das dores do parto e o risco do aborto espontâneo.

Também ajuda a melhorar a circulação sanguínea, diminuindo assim, o risco de desenvolvimento de doenças cárdicas. Atua como um poderoso tonificante para o coração, o deixando mais forte e diminuindo as palpitações. Pode ser usado como um ótimo tônico o Sistema Nervoso Central. Graças as suas propriedades medicinais, é ideal para o tratamento de distúrbios mentais e psicológicos, incluindo o estresse, a epilepsia, as convulsões e a histeria. Por conta das suas propriedades antiespasmódicas, também é muito indicada para o tratamento de distúrbios respiratórios e pulmonares, como, por exemplo, a bronquite, a asma e a rinite. Isso porque ela oferece um alívio muscular, diminuindo a contração na região dos pulmões.

Contraindicações e efeitos colaterais do viburno

O viburno sempre deve ser consumido seco. Fresco, pode causar uma série de reações alérgicas graves e até mesmo ser tóxica. Além disso, evite o consumo em excesso. O ideal é consultar um especialista antes de começar a ingerir a planta para obter orientações adequadas para o consumo da planta, sempre de forma segura e potencializando os resultados.

Por conta das suas propriedades parecidas com a das aspirinas, é preciso muita atenção para evitar a superdosagem. Logo, sempre evite tomar chás da planta junto com outros tipos de tratamento. Gestantes também devem evitar o consumo em excesso. Apesar de ajudar a diminuir as dores do parto, consumida em grandes quantidades e com muita frequência, pode gerar vários sintomas, como náuseas e vômitos, e, em último caso, pode ocasionar o abordo do feto.

História e curiosidades

Originária da América do Sul, a pequena árvore é bastante popular entre os amantes de jardinagem, por ser uma planta ornamental muito bela. Além de suas propriedades medicinais, também serve como alimento para várias espécies de pássaros.

Referências:
Jarboe, Charles H., et al. “Scopoletin, an antispasmodic component of Viburnum opulus and prunifolium.” Journal of medicinal chemistry 10.3 (1967): 488-489.
Dietz, Birgit M., et al. “Botanicals and their bioactive phytochemicals for women’s health.” Pharmacological reviews 68.4 (2016): 1026-1073.
Cometa, Maria Francesca, et al. “In vitro relaxant and spasmolytic effects of constituents from Viburnum prunifolium and HPLC quantification of the bioactive isolated iridoids.” Journal of ethnopharmacology 123.2 (2009): 201-207.
Hipernatural.
Hola Doctor.

Comentários

Comentar