Infertilidade feminina: causas e tratamento natural

A infertilidade feminina é diagnosticada como a incapacidade da mulher de engravidar após 12 meses de relações sexuais regulares, desprotegidas de métodos anticoncepcionais no momento da ovulação. A infertilidade é uma condição médica comum que afeta homens e mulheres e estima-se que cerca de 10% a 15% dos casais heterossexuais que tentam conceber são incapazes após um ano de tentativas. Cerca de 80% dos casos de infertilidade possuem uma causa conhecida, sendo que metade destas são devido a fatores parciais ou totais da infertilidade masculina.

Causas da infertilidade feminina

A concepção é um processo complicado que envolve muitas fases e fatores biológicos e fases. Quando algum desses fatores é alterado ou danificado de alguma forma, a infertilidade pode ocorrer. A infertilidade feminina tem sido associada ao envelhecimento, comportamento, estilo de vida e histórico de doença inflamatória pélvica. O período de doze meses é uma referência para avaliar a fertilidade. Após este período, é provável que o homem ou a mulher estejam inférteis. Em alguns casos, ambos os parceiros podem ter infertilidade.

A infertilidade nas mulheres é geralmente causada por anovulação (falta de ovulação), anomalias uterinas, bloqueio das trompas de Falópio (canais que ligam útero e ovários) ou causas imunológicas. A incidência no histórico familiar de artrite reumatoide, ataques cardíacos, derrames ou lúpus eritematoso sistêmico pode indicar um distúrbio de coagulação do sangue, que sua vez pode ser um fator que contribui para a infertilidade feminina e abortos espontâneos no segundo e terceiro meses de gravidez. Alguns fatores autoimunes, como anticorpos anti-tiroide, anti-esperma, ativação de células naturais e endometriose podem contribuir para a infertilidade.

Tratamento natural da infertilidade feminina

Algumas ervas medicinais possuem propriedades que estão sendo investigadas e ser úteis no tratamento da infertilidade.

Agnocasto

Agnocasto - Vitex-agnus-castus
Agnocasto – Vitex-agnus-castus

A pequena fruta do agnocasto (Vitex agno-castus) é uma das melhores opções para equilibrar os hormônios, aumentando assim a fertilidade. O agnocasto ajuda a acalmar um ciclo menstrual pesado, detém o avanço da endometriose, elimina cistos uterinos, equilibra os níveis de progesterona e reduz os sintomas da TPM. O agnocasto incentiva a ovulação, aumentando o hormônio luteinizante, alongando a fase lútea e aumentando a progesterona.

Ashwagandha

Ashwagandha - Withania somnifera
Ashwagandha – Withania somnifera

A ashwagandha (Withania somnifera) é uma erva adaptogênica que fornece equilíbrio endócrino e hormonal para todo o organismo. A ashwagandha pode ajudar a regular e restaurar a função da glândula adrenal e tireoide. O seu efeito nervino pode fornecer uma ação calmante sobre o estresse e ajudar nos padrões regulares de sono. No caso dos homens, pode ser usada para aumentar a libido e aumentar a contagem de espermatozoides.

Fitoestrógenos Fitoestrógenos Fitoterápicos capazes de equilibrar as taxas hormonais e reduzir os sintomas da menopausa.
Menopausa Menopausa Fitoterápicos para combater os sintomas da menopausa.
Chás Chás Medicinais Chás 100% naturais e orgânicos para diversos objetivos.
Aloe vera Aloe vera Compre cápsulas liofilizadas, cremes, loções e shampoos de Aloe vera.
Maca-Peruana Maca-Peruana Em Cápsulas e Pó. Rica em nutrientes. Aumenta a libido, desejo sexual e vigor.

Framboesa

Framboesa - Rubus idaeus
Framboesa – Rubus idaeus

A framboesa (Rubus idaeus) é rica em ferro e inúmeros outros nutrientes que pode ser consumida durante a gravidez em forma de chá ou infusão. Pode ser usada para combater a anemia e aumentar a qualidade dos óvulos. As propriedades adstringentes estancam o sangramento excessivo e fortalecem o útero, prevenindo abortos espontâneos. Consumido após cirurgias, pode auxiliar na recuperação do útero em casos de cesarianas, cistos, endometriose, miomas e prolapso uterino. Exerce um efeito tonificante no útero e músculos da região pélvica, condicionando o organismo feminino para a gravidez e, eventualmente, o parto.

Peônia

Peônia - Paeonia officinalis
Peônia – Paeonia officinalis

A Paeonia sufrutticosa (peônia-de-árvore) é usada como um antisséptico e hepatoprotetor, assim como para a infertilidade feminina. A peônia acalma o fígado e nutre o sangue ao mesmo tem que melhora o fluxo de sangue ao útero. Uma velha frase chinesa dizia que “as mulheres que usam a raiz da peônia ficarão tão bonitas quanto a flor de Peônia”. Também é um tônico que age no sangue e aumenta a saúde nos órgãos reprodutivos femininos.

Trevo-vermelho

Trevo-vermelho - Trifolium pratense
Trevo-vermelho – Trifolium pratense

As folhas e flores do trevo-vermelho (Trifolium pratense) são altamente nutritivas e auxiliam a purificar o sangue. Isso pode ajudar a desintoxicar o corpo antes da concepção e gravidez. Outros benefícios incluem a melhora da digestão e saúde do fígado, além de melhor circulação sanguínea e equilíbrio hormonal. Pode ser usado para problemas desconhecidos de infertilidade, bloqueio trompas de Falópio e menstruações irregulares. O trevo-vermelho pode ser consumido em forma de chá ou infusão.

PODEROSO CHÁ PARA O TRATAMENTO DO CÂNCER Crajiru (Pariri) Chá15g
SHAMPOO CONCENTRADO DE BABOSA Shampoo de Aloe vera 300ml
AGONIADA, IPÊ-ROXO E SANGRA D'ÁGUA Barbatimão Composto
BARBATIMÃO, UNHA-DE-GATO E UXI-AMARELO Saúde Feminina 500mg
PREVINE RUGAS / PROMOVE A SAÚDE DA PELE Colágeno Hidrolisado com Vitamina C
Referências:
7 Herbs For Increasing Fertility & Conception. Our Doors Are Closing.
van Die, M. Diana, et al. “Vitex agnus-castus extracts for female reproductive disorders: a systematic review of clinical trials.” Planta medica 79.07 (2013): 562-575.
Daniele, C., Coon, J. T., Pittler, M. H., & Ernst, E. (2005). Vitex agnus castus. Drug Safety, 28(4), 319-332.
Xu, Xian, et al. “Application of traditional Chinese medicine in the treatment of infertility.” Human Fertility 6.4 (2003): 161-168.
Choi, Hee-Jung, et al. “Paeonia lactiflora enhances the adhesion of trophoblast to the endometrium via induction of leukemia inhibitory factor expression.” PloS one 11.2 (2016): e0148232.

Comentários

1 Comentário

Comentar