Rhamnus frangula – FRÂNGULA

Rhamnus frangula

Nomes populares

Frângula, amieiro-negro, arraclão, bérberis, sabugueiro-de-inverno (Portugal), frángula, black alder, buckthorn (Estados Unidos), bourdaine, nerprun purgatif (França), frangola (Itália), faulbaumrinde (Alemanha).

Sinônimos botânicos

Frangula alnus, Frangula dodonei, Frangula europaea, Rhamnus frangula var. alnus.

Família

Rhamnaceae

Partes usadas

casca, folhas, frutos.

Usos tradicionais

  • Combate à constipação.
  • Estímulo da digestão.
  • Tratamento de desordens hepáticas.
  • Tratamento de hemorroidas.
  • Tratamento de icterícia.

Propriedades medicinais da Rhamnus frangula

  • Adstringente (constringem tecidos e fecham poros na pele; causa constrição de mucosas na boca; contrai vasos capilares).
  • Anti-inflamatório (combate a inflamação nos tecidos).
  • Antioxidante (inibe os efeitos da oxidação e combate os radicais livres).
  • Estimulante (produz um aumento temporário da atividade funcional de um organismo ou de qualquer parte dele).
  • Hepatoprotetor (protege ou contribui para proteger o fígado).

Preparações

Cápsulas, chás, extratos, infusões, tinturas.

FIGAPRO

Figapro é o suplemento alimentar mais utilizado no Brasil para auxiliar a eliminar gordura do fígado e melhorar o funcionamento do sistema digestivo.

Contraindicações e efeitos colaterais

Pode causar desidratação e desequilíbrio eletrolítico. Evitar uso prolongado e em gestantes.

Fitoquímicos

Antraquinonas, flavonoides, taninos.

Curiosidades

– A Rhamnus frangula é amplamente utilizada como laxante devido às suas propriedades estimulantes do intestino. Contudo, o uso excessivo pode causar dependência. Portanto, é essencial usá-la sob supervisão médica, especialmente em tratamentos prolongados. A casca deve ser envelhecida por pelo menos um ano antes do uso para evitar efeitos adversos.

– A frângula também desempenha um papel na indústria de corantes naturais. Sua casca e frutos podem ser usados para tingir tecidos, oferecendo uma alternativa sustentável aos corantes sintéticos. O processo de tingimento com frângula é conhecido por sua capacidade de produzir tons de amarelo e verde. Essa prática é comum em algumas culturas tradicionais europeias.

– Além de suas propriedades medicinais, a frângula é valorizada na jardinagem e paisagismo. Suas folhas verde-escuras e flores discretas adicionam beleza a jardins. A planta também é resistente e de fácil cultivo, adaptando-se bem a diferentes tipos de solo e climas, sendo uma escolha popular entre jardineiros.

– Historicamente, a frângula era usada pelos curandeiros na Europa medieval para tratar diversas condições de saúde. Sua eficácia como purgativo e tônico digestivo a tornou uma planta essencial na medicina tradicional. A planta ainda é estudada por seus potenciais benefícios e novos usos terapêuticos, destacando sua importância contínua na fitoterapia.

Referências:
Duke, James A. *Handbook of Medicinal Herbs*. CRC Press, 2002.
Grieve, Maud. *A Modern Herbal*. Dover Publications, 1971.
Foster, Steven, e James A. Duke. *Peterson Field Guide to Medicinal Plants and Herbs of Eastern and Central North America*. Houghton Mifflin Harcourt, 2000.
Chevallier, Andrew. *Encyclopedia of Herbal Medicine*. DK Publishing, 2016.
PDR for Herbal Medicines. 4ª ed., Thomson Healthcare, 2007.
Simon, James E., et al. *Herbs: An Indexed Bibliography*. Archon Books, 1984.
Duke, James A., e Mary Jo Bogenschutz-Godwin. *Duke’s Handbook of Medicinal Plants of the Bible*. CRC Press, 2008.
Upton, Roy, ed. *American Herbal Pharmacopoeia and Therapeutic Compendium*. American Herbal Pharmacopoeia, 2001.