Biancospino (crataegos): benefícios, efeitos e propriedades medicinais

O biancospino (Crataegus oxyacantha) é uma planta medicinal também conhecida como crataego, crataegus, espinha-branco, espinheiro-branco, hawthorn (inglês), dentre outros nomes populares. Pertence à família Rosaceae.

Benefícios e propriedades medicinais do biancospino

As folhas, flores e frutos podem ser utilizados para amenizar as dores do sistema digestivo, bem como para aliviar o inchaço, aumentar o apetite e melhorar a digestão. A sua ação adstringente à torna útil para ser utilizada como remédio para diarreia. O uso medicinal da biancospino inclui os caules verdes, flores, folhas e frutas desidratadas. Em alguns casos, a casca também é utilizada. O processo de desidratação é feito em torno de 35 graus para as folhas e flores. No caso do caule e dos frutos a desidratação é feita em torno de 70 graus.

A Crataegus oxyacantha é composta de acetilcolina, ácidos fenólicos, dopamina, fenetilamina, flavonoides, proantocianidinas oligoméricas, saponinas, tiramina e triterpenos à base de ácido oleanólico e ácido ursólico. A casca e a fruta contém óleo essencial, pectina, vitamina C, dentre outras substâncias. As flores possuem alto nível de flavonoides e as folhas têm grande quantidade de proantocianidinas oligoméricas. O melhor uso medicinal do biancospino ocorre quando todas as partes da planta são combinadas.

Benefícios da biancospino para a saúde do coração

O biancospino proporciona efeitos benéficos significativos para à saúde do coração e circulação sanguínea, sendo amplamente utilizada na prevenção e tratamento que envolve doenças coronárias e vasos sanguíneos. A Crataegus oxyacantha é indicada para o tratamento da angina (dor no peito causada pelo enfraquecimento dos músculos do coração), diminuição da hipertensão arterial, otimização da circulação sanguínea, além de otimizar o metabolismo dos músculos do órgão, aumentando a tolerância dos mesmos em caso de falta de oxigênio.

A biancospino dilata os vasos sanguíneos e ajuda a melhorar o transporte de sangue para todas as partes do corpo. Da mesma forma, reduz os efeitos da aterosclerose, podendo ser útil para pacientes que lidam com confusão e falta de memória causadas pela falta de sangue suficiente no cérebro. Auxilia na regularização da pressão sanguínea (tanto hipertensão quanto a hipotensão), além de abaixar lentamente o colesterol e os índices de gordura corporal. Aos primeiros sinais de insuficiência cardíaca, o crataegos é recomendado para diminuição do progresso das doenças e deve ser utilizado principalmente como um método preventivo.

Contraindicações e efeitos colaterais do biancospino

O uso do Crataegus oxyacantha pode potencializar os efeitos de medicamentos para o coração. Algumas das medicações que podem interagir são remédios para a asma (vasodilatadores), Clonidine (remédio para controlar a hipertensão) e Viagra (estimulante sexual), bem como outros medicamentos que atuam sobre o coração. O uso é contraindicado para mulheres grávidas. Os efeitos adversos associados ao uso da biancospino são leves e raros, mas podem incluir desconforto abdominal, insônia, sudorese e tonturas.

História e curiosidades

O nome do gênero, Crataegus, é oriundo do grego kratos, recorrendo à dureza de sua madeira. No folclore celta, fadas utilizam as árvores de crataegos para se pendurarem. Gregos e romanos associaram a planta com matrimônio e fertilidade. A Crataegus oxyacantha é parte da família das Rosáceas e possui mais de duzentas e oitenta espécies pertencentes ao gênero, sendo que sessenta delas são nativas da Ásia e Europa, contudo, são encontradas com mais facilidade na América do Norte. Os sinônimos botânicos mais conhecidos incluem a Crataegus columbiana, C. cuneata, C. douglasii, C. pinnatifida, dentre outras espécies.

Devido ao fato de se reproduzir com facilidade, é uma das espécies que mais confundem os especialistas. Apesar disso, a biancospino é uma das plantas mais utilizadas com fins medicinais. Crescem até uma altura considerável de dez metros e vivem por bastante tempo. Suas flores brancas atraem insetos como as moscas por causa do odor característico de decomposição.

Referências:
Al Makdessi, S., Sweidan, H., Dietz, K., & Jacob, R. (1999). Protective effect of Crataegus oxyacantha against reperfusion arrhythmias after global no-flow ischemia in the rat heart. Basic research in cardiology, 94(2), 71-77.
Al Makdessi, S., Sweidan, H. I. C. H. A. M., Müllner, S., & Jacob, R. (1996). Myocardial protection by pretreatment with Crataegus oxyacantha: an assessment by means of the release of lactate dehydrogenase by the ischemic and reperfused Langendorff heart. Arzneimittel-Forschung, 46(1), 25.
Verma, S. K., Jain, V., Verma, D., & Khamesra, R. (2007). Crataegus oxyacantha—a cardioprotective herb. Journal of Herbal Medicine and Toxicology, 1(1), 65-71.
Wagner, H., and J. Grevel. “Cardioactive drugs IV. Cardiotonic amines from Crataegus oxyacantha (author’s transl).” Planta Medica 45, no. 2 (1982): 98-101.
Abdul-Ghani, A. S., Amin, R., & Suleiman, M. S. (1987). Hypotensive effect of Crataegus oxyacantha. International Journal of Crude Drug Research, 25(4), 216-220.

Comentários

1 comentário

  1. Pensei em comprar esse medicamento, mas não entendo o porque de sua contra indicação em vários sites da Internete, para quem tem alguma cardiopatia, uma vez que ele também é indicado para o coração.Como pode ser indicado e contra indicado ao mesmo tempo?
    Um grande abraço
    Lucian

    Réplica – A grande ressalva é que o Crataego pode potencializar os efeitos em pessoas que utilizam remédios para o coração, portanto, é imprescindível que só seja usado sob recomendação e supervisão médica.

Comentar