Violeta-doce: saiba para que serve a flor

Violeta - Viola odorata

Conheça os benefícios, efeitos, indicações e propriedades medicinais das flores e folhas da Viola odorata, conhecida como violeta-doce e violeta-perfumada.

Atualizado em 21/09/2022

A violeta (Viola odorata) é uma planta medicinal também conhecida como violeta-comum, violeta-de-jardim, violeta-de-cheiro, violeta-doce, violeta-inglesa, violeta-perfumada, viola, common violet (inglês), dentre outros nomes populares. Os romanos cultivavam a tradição de plantar violetas nas sepulturas de crianças. Tais flores são consideradas como símbolos de inocência e modéstia. Algumas pessoas acreditam que utilizar uma guirlanda das flores de violeta ao redor da cabeça previne dorees de cabeça, ressacas e vertigens.

Benefícios da violeta

As propriedades curativas da violeta-doce se concentram em suas folhas e flores, que são utilizadas na homeopatia em fórmulas para o tratamento de diversas condições de saúde, incluindo tensão nervosa, histeria, esgotamento físico e mental, menopausa, depressão, distúrbios do aparelho digestivo (dores abdominais, inchaço, azia, gases intestinais, perda de apetite e outros distúrbios), dores de garganta, tosses, rouquidão, bronquite, febre, doenças de pele, dor de cabeça, insônia, tuberculose, dentre outras condições de saúde e doenças.

O chá dá folha da violeta já foi utilizado como um laxante moderado e também para aliviar irritações e inflamações no peito, pulmão, pele, garganta e língua. Topicamente, são aplicadas compressas ou cataplasmas em cistos na mama e na pele. Também pode ser aplicada na parte de trás do pescoço um pano saturado em chá de viola para aliviar dores de cabeça. Usada em forma de papa em calos e verrugas. Em forma de gargarejo para dores de garganta.

Efeitos do pó das flores da violeta na proteção do fígado e dos rins

Violetas

Violetas

O fígado é responsável por muitas funções críticas dentro do organismo e, caso fique debilitado ou funcione incorretamente, a perda dessas funções pode causar danos significativos ao corpo. Já os rins desempenham a função essencial de remover os resíduos do sangue e regular os níveis de fluido de água. Os rins recebem sangue através da artéria renal. O sangue é passado através da estrutura dos rins chamada néfrons, onde os produtos residuais e o excesso de água passam para fora da corrente sanguínea. A doença renal ocorre quando os néfrons dentro dos rins, que atuam como filtros de sangue, são danificados. Isso leva ao acúmulo de resíduos e fluidos dentro do corpo .

O pó das flores de violeta (Viola odorata) se mostrou eficaz na proteção do fígado contra lesões. Esses resultados apoiaram a hipótese de que
violeta contém várias classes de fitoquímicos com outros compostos que são capazes de prevenir ou inibe a hepatotoxicidade no fígado por meio da redução de enzimas. Deste forma, o extrato da violeta, ao ser incluído em dietas e suplementos, pode ser útil para prevenir e tratar tais tipos de lesões nos fígados e rins.

FIGAPRO

Figapro é o suplemento alimentar mais utilizado no Brasil para auxiliar a eliminar gordura do fígado e melhorar o funcionamento do sistema digestivo.

Composição

A Viola odorata possui em sua composição alfa-ionona, beta-ionona, beta-sitosterol, eugenol, acido ferúlico, kaempferol, ácido málico, salicilato de metila, ácido palmítico, quercetina, rutina, escopoletina e vanilina.

Contraindicações e efeitos colaterais da violeta

Apenas as folhas e flores da planta são utilizadas medicinalmente. As folhas e flores são comestíveis e podem ser acrescentadas em saladas, no entanto, apenas profissionais da culinária as utilizam para tal fim, vez que a ingestão indiscriminada das folhas pode causar enjoos. A raiz, por exemplo, não pode ser consumida por apresentar substâncias tóxicas que podem causar vômitos e diarreias.

História e curiosidades

A mitologia grega conta que o Zeus amou uma mulher chamada de Ione (Viola). A esposa de Zeus, Hera, enciumada, transformou Ione em uma novilha branca. Assim, Zeus criou as violetas para proporcionar algo agradável para que Ione pudesse pastar. A violeta faz parte da família Violaceae.

Referências:
Sweet Violet. WebMD.
Drozdova, I. L., and R. A. Bubenchikov. “Composition and antiinflammatory activity of polysaccharide complexes extracted from sweet violet and low mallow.” Pharmaceutical Chemistry Journal 39.4 (2005): 197-200.
Elhassaneen, Yousif, et al. “Effect of sweet violet (Viola odorata L.) blossoms powder on liver and kidney functions as well as serum lipid peroxidation of rats treated with carbon tetrachloride.” J Am Sci 9.5 (2013): 88-95.