Congonha-do-campo: benefícios e propriedades

A congonha-do-campo (Luxemburgia polyandra) é uma planta medicinal também conhecida como catuaba-do-mato, congonha-do-mato, congonha-do-rio, mate-do-campo, dentre outros nomes populares. Pertence à família Ochnaceae.

Benefícios e propriedades medicinais da congonha-do-campo

A congonha-do-campo é muito utilizada na medicina alternativa, principalmente devido a quantidade de nutrientes na composição das cascas da árvore e folhas. Desta forma, possui uma série de propriedades medicinais, agindo como anti-inflamatório, calmante, diurético, sudorífico e tônico para o coração. A congonha-do-campo também é considerada um excelente estimulante da circulação sanguínea, auxiliando assim, diversas outras funções do organismo, vez que é por meio do sangue que os nutrientes chegam até os órgãos e tecidos.

A congonha é útil na prevenção e tratamento da arteriosclerose, doença degenerativa da artéria acontece por conta da degradação das chamadas fibras musculares lisas e das fibras elásticas. Isso acaba levando ao endurecimento da parede arterial prejudicando a circulação. Além disso, possui efeitos benéficos no tratamento de nefrites (inflamações nos rins causadas geralmente por alguma infecção no organismo ou reação imune causada por substâncias nocivas na corrente sanguínea). A Luxemburgia polyandra é um excelente diurético, sendo indicada para pessoas que desejam perder peso.

Como preparar o chá de congonha-do-campo

Chá de congonha-do-campo
Chá de congonha-do-campo. Foto: Neide Rigo. Blog Come-Se Bem.

As maneiras mais fáceis e práticas de consumir a congonha-do-campo é como chá e chimarrão. No caso do chimarrão, o modo de preparo é convencional. Deve-se colocar a erva na cuia, juntamente com a bomba e em seguida a água fervente.

O chá das folhas pode ser preparado de duas maneiras distintas. No primeiro método, você deve levar ao fogo um punhado de congonha-do-campo juntamente com uma xícara de açúcar. Tome o cuidado de sempre mexer a mistura para que o açúcar não queime. O próximo passo é adicionar um litro de água e deixar que a mistura ferva. Em seguida, desligue o fogo e abafe tudo com uma tampa para que as folhas soltem o máximo de sabor possível. A bebida pode consumida tanto gelada quanto quente.

A segunda maneira de preparar o chá de congonha-do-campo é diretamente na caneca. Basta colocar um pequeno punhado de folhas na xícara e colocar água fervente em cima. Em seguida, abafar o líquido com uma tampa ou pires e deixe infundir por alguns minutos. O chá pode ser consumido quente ou frio. É possível armazenar esse chá para que você toma-lo, o que é uma boa dica para pessoas que desejam emagrecer. Neste caso, após preparar o chá, é necessário guarda-lo um recipiente higienizado e vedado dentro da geladeira. O chá de congonha-do-campo pode ser consumido várias vezes ao dia.

Contraindicações e efeitos colaterais da congonha-do-campo

Atualmente, não existem estudos conclusivos sobre as reações adversas por conta do uso em excesso da Luxemburgia polyandra. Contudo, por se tratar de uma planta que se assemelha muito a erva-mate (Ilex paraguariensis), existem alguns grupos que devem evitar as altas doses. No caso de gestantes e lactantes, é recomendado evitar consumir produtos feitos à base do arbusto, pelo menos durante os três primeiros meses de gestação e amamentação.

Curiosidades

A congonha-do-campo é nativa do Brasil que pode ser encontrada na região entre Minas Gerais e o Rio de Janeiro. Possui várias propriedades medicinais. Apesar de ocorrer em maior frequência no Sudeste, é uma erva mais conhecida entre os brasileiros para o preparo do chimarrão, bebida consumida principalmente no sul do país.

Referências:
Feres, Fabíola. “New species of Luxemburgia A. St.-Hil.(Ochnaceae).” Brazilian Journal of Botany 33.4 (2010): 653-659.
Luxemburgia polyandra A. St.-Hil. Planta Med.

Comentários

Comentar