Lírio-roxo: saiba para que serve a raiz

Lírio-roxo - Iris versicolor

Conheça os benefícios, cultivo, efeitos, indicações e propriedades medicinais do lírio-roxo (Iris versicolor), também chamada de flor-de-lis e íris-selvagem.

Atualizado em 10/07/2024

O lírio-roxo (Iris versicolor) é uma planta medicinal também popularmente conhecida como flor-de-lis, íris, íris-selvagem, fleur-de-lis (francês) e blue lily (inglês). Pertence à família das Iridáceas. Seu nome, significa arco-íris e possui origem francesa. Segundo a área da homeopatia, essa nomenclatura se deve por conta da ligação da planta com o céu e a terra.

Benefícios do lírio-roxo

Originária da Costa Leste dos EUA, o lírio-roxo é muito conhecido e utilizado na medicina alternativa e homeopatia, sendo aplicada principalmente para o tratamento de constipação, conhecida como prisão de ventre. Além disso, melhora a condição de distúrbios causados na pele e auxilia na limpeza do sangue. Diversos estudos mostraram que as folhas e raízes são úteis no tratamento de doenças de pele como a acne, eczema e psoríase. Além disso, é eficaz no tratamento de infecções causadas por estafilococos, um gênero de bactérias gram-positivas.

Dentro da medicina natural, as partes utilizadas são os rizomas secos, devido à grande quantidade de propriedades medicinais encontradas nessas partes em específico. Suas propriedades são as mais variadas, servindo como um anti-inflamatório natural, catártico purgante diurético, estimulante, laxante e tônico. Desta forma, é extremante popular dentro da homeopatia. Pode ser usada para o tratamento de enxaquecas, por meio de compressas mornas ou quentes.

Saiba como cultivar o lírio-roxo

O lírio-roxo (Iris versicolor) é uma planta muito utilizada para fins ornamentais por conta da sua coloração diferenciada e sua elegância. A flor foi adotada pela realeza francesa e se mantem até hoje como um sinal extraoficial do país e, por conta da sua beleza, se tornou um símbolo universal, sendo, inclusive, utilizada no escudo dos escoteiros (cada pétala da flor representa um dos pilares que sustentam o movimento).

Um dos grandes diferenciais do lírio-roxo é que ela pode ser cultivada tanto em vasos como em canteiros, desde que a terra seja arenosa. O plantio é feito por meio da utilização dos chamados bulbos que devem ser colocados em uma terra previamente adubada para garantir o brotamento. O ideal é cobrir totalmente o bulbo com terra, deixando uma pequena parte para fora para indicar o crescimento do vegetal. Além disso, para garantir que ela realmente se desenvolva, o ideal é sempre adubar a terra com materiais orgânicos, sejam eles comprados em lojas ou feitos de forma caseira com restos de alimentos.

O lírio não deve ser regada de forma excessiva. Na verdade, a rega só deve ter início após o estágio vegetativo da planta. O ideal é que você intercale a rega, sendo um dia e um não, e sempre procure não exagerar na quantidade de água, pois, isso pode gerar o apodrecimento do bulbo. Durante o evento, o lírio entra no que chamamos de estado de dormência, quando perde todas as folhas e fica menos ativa. Já durante o verão é quando ela floresce sendo um verdadeiro show de beleza natural por conta das flores de cores extravagantes. Além de ser bela, a planta é rica em propriedades medicinais.

FIGAPRO

Figapro é o suplemento alimentar mais utilizado no Brasil para auxiliar a eliminar gordura do fígado e melhorar o funcionamento do sistema digestivo.

Desenvolvimento

O lírio-roxo pode medir até 45 centímetros de altura, sendo ideal para quem deseja um jardim com vasos, ou, ambientes decorados com vasos de flores naturais. Contudo, para conseguir encontrar os bulbos para plantio é necessário entrar em contato com lojas de flores ornamentais especializadas, vez que a íris pode ser extremamente rara em algumas regiões do país.

Contraindicações e efeitos colaterais do lírio-roxo

Apesar de benéfica, a flor-de-lis precisa ser utilizada com cuidado. O ideal é usar sempre a raiz seca da planta, e apenas em quantidades moderadas. Isso porque, in natura, ou seja, de forma fresca, ela pode causar problemas de pele, como a dermatite. Além disso, a ingestão de grandes quantidades da substância pode gerar uma série de reações alérgicas no paciente, tais como, neuralgia facial e náuseas. Por conta disso, é muito importante consultar um especialista antes de começar a usar algum homeopático para o tratamento de distúrbios.

História e curiosidades

Por conta da sua beleza, a flor-de-lis se tornou um símbolo universal, sendo, inclusive, utilizada no escudo dos escoteiros (cada pétala da flor representa um dos pilares que sustentam o movimento). Além disso, também é muito utilizada para fins ornamentais, por conta da sua coloração diferenciada e sua elegância.

A flor-de-lis é um símbolo de pureza e inocência, mas, também, do poder de reais. Não é à toa que foi adotada pela realeza francesa e se mantem até hoje como um sinal extraoficial da França. A flor-de-lis é extremamente popular dentro da literatura, sendo mais conhecida por aparecer em clássicos como Os Três Mosqueteiros, de Alexandre Dumas, e best-sellers como O Código Da Vinci, de Dan Brown. Dentro do cinema, também usada como símbolo para representar segredos e organizações secretas.

Referências:
Grieve, Maud. A modern herbal: the medicinal, culinary, cosmetic and economic properties, cultivation and folk-lore of herbs, grasses, fungi, shrubs, & trees with all their modern scientific uses. Vol. 2. Courier Corporation, 1971.
Danno, Karine, et al. “Homeopathic treatment of migraine in children: results of a prospective, multicenter, observational study.” The journal of Alternative and Complementary medicine 19.2 (2013): 119-123.
Flor de Lis. Iris versicolor. Plantas que Curam.
Avalie
[3.5]