Mil-folhas: benefícios e propriedades medicinais

O mil-folhas (Achillea millefolium) é uma planta medicinal também conhecida como milefólio, macelão, alevante, anador, aquilea, aquileia, atroveran, botão-de-prata, erva-carpinteira, erva-dos-militares, erva-dos-soldados, levante, marcelão, mil-em-rama, mil-ramas, milefólia, milfolhada, milfólio, mil-ramos, novalgina, pelo-de-carneiro, pestana-de-Vênus, ponta-livre, prazer-das-damas, pronto-alívio, salvação-do-mundo, yarrow (inglês) ichi kao (chinês), dentre outros nomes populares. Pertence à família Asteraceae.

Benefícios do mil-folhas

O mil-folhas ajuda a relaxar vasos sanguíneos periféricos, melhorando a circulação. Suas propriedades diaforéticas ajudam a abrir os poros, auxiliando na eliminação de substâncias que o corpo não necessita, além de provocar à dilatação de vasos capilares, melhorando a circulação sanguínea e combatendo a queda de cabelo. Uma receita antiga indicava misturar mil-folhas com tabaco e esfregar diretamente no couro cabeludo para retardar a calvície. Devido a sua ação analgésica e calmante, possui o poder de aliviar febres, gripes, resfriados e principalmente dores de cabeça.

É um excelente diurético, útil na desintoxicação do organismo, reduz a incontinência urinária, estimula uma boa circulação sanguínea e trata de problemas como hemorroidas e gases. A sudorese causada pelo milefólio pode ser útil para aliviar os sintomas de febres e constipações. O uso do mil-folhas juntamente com a flor de sabugueiro e hortelã-pimenta é um velho remédio para combater resfriados. A erva, cujo um dos nomes populares é “novalgina”, contém várias substâncias anti-inflamatórias, como o azulene e o ácido salicílico. Mulheres que sofrem com cólicas menstruais ou ciclos irregulares se beneficiam com o urso da erva e notam que ocorre a diminuição dos incômodos e melhora na regularização do ciclo menstrual.

Usos tradicionais na medicina popular

Na medicina popular, a aplicação direta das folhas frescas no local da ferida ou corte ajuda a estancar sangramentos, formando uma crosta no lugar da aplicação. As folhas frescas colocadas no nariz ajudam a combater hemorragias nasais e amenizam enxaquecas. A inalação da erva enquanto é fervida trata a asma e a febre. O vapor do cozimento da folha é usado para retirar a oleosidade da pele.

A decocção já foi usada para tratar todos os tipos de ferimentos externos, pele com rachaduras ou mamilos doloridos. Em forma de lavagem para eczema. Esfregado na pele pode repelir insetos. Compressas são indicadas para varizes. Em forma de enema ou compressas para tratamento de hemorroidas. A folha fresca mastigada pode aliviar dor de dente. Em forma de líquido para limpeza bucal ou garganta inflamada e a plicação direta em picadas de aranha.

Contraindicações e efeitos colaterais do mil-folhas

O uso excessivo pode causar fotossensibilidade de pele. O consumo interno em abundância pode trazer algum efeito leve psicotrópico, podendo ocorrer mudanças na cor e intensidade da luz ao redor ou até mesmo causar vertigem e dores de cabeça em algumas pessoas. Não deve ser utilizado durante a gravidez e tampouco na época do nascimento do bebe, vez pode interferir na placenta. A urina pode ficar com um tom castanho após a utilização da erva, no entanto, isso não é motivo para preocupação.

História e curiosidades

O nome de gênero, Achillea, composto por mais de 80 espécies, faz menção ao herói grego Aquiles, que segundo a lenda, após aprender herbologia com o centauro Chiron, utilizou-se dos seus conhecimentos e do mil-folhas para curar as feridas de seus guerreiros durante a guerra de Troia (ocorrida por volta de 1200 a.C.). Sua utilização como vulnerário durante as guerras na Europa séculos atrás lhe conferiu o nome de Herba militares (erva-dos-militares ou erva dos soldados).

O nome em latim da espécie millefolium significa mil-folhas, devido ao fato da planta possuir várias finas folhas divididas em cada ramo. Na França e na Irlanda, pessoas que queriam ser clarividentes colocavam a erva em cima dos olhos. Os talos secos da planta foram usados para criar o ching, um sistema antigo chinês para orientação e sabedoria. A espécie Achillea millefolium faz parte da Relação Nacional de Plantas Medicinais de Interesse ao SUS (RENISUS), constituída de espécies vegetais com potencial de avançar nas etapas da cadeia produtiva e de gerar produtos de interesse do Ministério da Saúde do Brasil.

Referências:
Candan, Ferda, et al. “Antioxidant and antimicrobial activity of the essential oil and methanol extracts of Achillea millefolium subsp. millefolium Afan.(Asteraceae).” Journal of ethnopharmacology 87.2-3 (2003): 215-220.
Chandler, R. F., S. N. Hooper, and Mh J. Harvey. “Ethnobotany and phytochemistry of yarrow, Achillea millefolium, Compositae.” Economic botany 36.2 (1982): 203-223.
Dias, Maria Inês, et al. “Chemical composition of wild and commercial Achillea millefolium L. and bioactivity of the methanolic extract, infusion and decoction.” Food chemistry 141.4 (2013): 4152-4160.

Comentários

5 Comentários

  1. Susane Marques

    A Mil Folhas também pode ser usada para fazer florais. No exterior esse floral é conhecido como Yarrow.

  2. carlos alberto de sene

    Li todas as paginas e tenho fé que vai me ajudar, pois minha esposa está com trombose venosa profunda e já amputou dois dedos e não quero que ampute mais. Obrigado e se DEUS quiser vai dar certo.

  3. Francisca Norte

    Muitíssimo obrigada pelas excelentes informações sobre a planta millefolium

  4. Cristov Becker

    Eu gostaria de comprar sementes ou mudas de “achillea milefolium”. Onde posso encontrar? Obrigado,
    Cristov

  5. Voces conhecem um fitoterapico chamado Menoplan da Uniplantas Produtos Naturais, CNPJ 03039834/0001-07, cujo farmaceutico responsável é Ailton M. Francisco, CRQ 04437787?

    Réplica – Não conhecemos. Este tipo de informação você pode obter diretamente no site da Anvisa, onde os fitoterápicos devem ser registrados. Grato.

Comentar