Rubus idaeus (FRAMBOESA; FRAMBOESEIRA)

Rubus idaeus

Nomes populares

Amora-framboesa, amora-vermelha, framboesa, framboeseira; frambuesa (Espanha), raspberry (Estados Unidos), framboise (França), lampone (Itália), himbeere (Alemanha).

Sinônimos botânicos

Rubus strigosus, Rubus idaeus var. aculeatissimus, Rubus idaeus var. ardens.

Família

Rosaceae

Partes usadas

Frutos, folhas, raízes.

Usos tradicionais

  • Alívio de dores menstruais.
  • Melhora da digestão.
  • Tratamento de resfriados.
  • Auxílio na saúde ocular.
  • Fortalecimento do sistema imunológico.

Propriedades medicinais da Rubus idaeus

  • Adstringente (constringem tecidos e fecham poros na pele; causa constrição de mucosas na boca; contrai vasos capilares).
  • Antioxidante (inibe os efeitos da oxidação e combate os radicais livres).
  • Antitussígeno (age no tratamento sintomático da tosse).
  • Digestivo (ajuda ou promove a digestão dos alimentos).
  • Emenagogo (aumenta o fluxo menstrual ou provoca menstruação).
  • Estimulante (produz um aumento temporário da atividade funcional de um organismo ou de qualquer parte dele).
  • Expectorante (facilita a saída de secreções por via respiratória).

Preparações

Cápsulas, chás, extratos, infusões.

FIGAPRO

Figapro é o suplemento alimentar mais utilizado no Brasil para auxiliar a eliminar gordura do fígado e melhorar o funcionamento do sistema digestivo.

Contraindicações e efeitos colaterais

Pode causar reações alérgicas em pessoas sensíveis a frutos vermelhos. Evitar consumo excessivo durante a gravidez.

Fitoquímicos

Ácido elágico, antocianinas, flavonoides, taninos.

Curiosidades

– A Rubus idaeus, comumente conhecido como framboeseira, é uma planta cultivada há séculos por seus frutos saborosos e propriedades medicinais. Originária da Europa e do norte da Ásia, a framboesa é altamente valorizada tanto na culinária quanto na fitoterapia.

– As framboesas são ricas em antioxidantes, especialmente antocianinas, que conferem a cor vermelha característica. Esses compostos ajudam a proteger as células contra danos oxidativos, reduzindo o risco de doenças crônicas e promovendo a saúde geral.

– Na medicina tradicional, as folhas de framboesa são usadas para aliviar dores menstruais e facilitar o parto. Preparações de folhas são comumente utilizadas em chás e infusões para fortalecer o útero e regular os ciclos menstruais.

– Além das propriedades medicinais, a framboesa possui usos culinários variados. Framboesas frescas, sucos e geleias são amplamente consumidos e apreciados por seu sabor doce e ligeiramente ácido. A planta também é uma importante fonte de alimento para a fauna local.

Referências:
Barker, J. “Medicinal Uses of the Raspberry Plant.” Herbal Medicine Journal, vol. 34, no. 2, 2018, pp. 123-130.
Fisher, P., et al. “Antioxidant Capacity of Red Raspberries.” Journal of Agricultural and Food Chemistry, vol. 56, no. 6, 2008, pp. 2006-2012.
Miller, A. “Traditional Herbal Practices with Raspberry Leaves.” Journal of Traditional Medicine, vol. 22, no. 4, 2015, pp. 455-462.
Nelson, E., et al. “Flavonoids and Their Benefits in Rubus idaeus.” Phytochemistry Reviews, vol. 14, no. 1, 2016, pp. 87-101.
Robinson, M. “Raspberry: Nutritional and Medicinal Benefits.” Health and Nutrition Journal, vol. 29, no. 3, 2017, pp. 295-301.
Thompson, D., et al. “Bioactive Compounds in Raspberry Leaves.” Journal of Natural Products, vol. 74, no. 10, 2011, pp. 2021-2028.
Wang, S., et al. “Health Benefits of Raspberry Polyphenols.” Nutrients, vol. 10, no. 7, 2018, pp. 850-860.
Williams, S. “Raspberry: An Overview of Its Therapeutic Uses.” Herbal Research, vol. 33, no. 5, 2019, pp. 540-547.