Vara-de-ouro: benefícios, efeitos e propriedades medicinais

A vara-de-ouro (Solidago virgaurea) é uma planta medicinal também conhecida como verga-de-ouro, verga d’ouro, virgáurea, vara-de-oro (espanhol), goldenrod e woundwort (inglês), dentre outros nomes populares. Pertence à família Asteraceae.

Benefícios e propriedades medicinais da vara-de-ouro

As folhas e flores concentram as propriedades medicinais da vara-de-ouro. É indicada para casos de inflamações nos rins e da bexiga, cálculos renais, albuminúria, pielonefrite (infecção renal), cistite e distúrbios da próstata. No caso de infecções de urina, pedras no rim e problemas na próstata, é usada como medida preventiva. Possui ação adstringente, antiespasmódica, anti-inflamatória, antifúngica e diurética. As propriedades diuréticas facilitam a eliminação de resíduos e toxinas nocivas do organismo e auxilia na melhora do sistema linfático.

Algumas espécies de vara-de-ouro possuem propriedades medicinais mais acentuadas do que outras variedades. A Solidago virgaurea é aromática, carminativa e estimulante. A S. canadensis e a S. sempervirens são vulnerárias (promovem a cicatrização e cura de cortes e feridas). A S. rigida é adstringente e hemostática ((agente medicinal estancador de hemorragias; anti-hemorrágico) e a Solidago odora é adstringente, aperiente, carminativa e diurética. Inclui outras espécias similares como a Solidago nemoralis, S. radiata e S. spathulata.

Na medicina popular, é usada para aliviar o muco congestionado. Ajuda a combater a febre do feno. São feitas lavagens ou compressas para feridas, dores de cabeça e reumatismo. Gargarejo para dor de garganta e laringite. Cataplasma para picadas de abelha. Utilizada como enxaguante de cabelo para tingir o cabelo de loiro. Usada também como erva de banho. Na culinária, as folhas jovens podem ser adicionadas e consumidas em saladas. As flores podem ser acrescentadas a bolinhos e outros preparos.

Chá de vara-de-ouro

O chá desta vara-de-ouro pode ser usado em casos de diarreia, dores de garganta, distúrbios que acometem os rins, úlceras, além de problemas de pele. No caso da beleza da pele, a vara pode ajudar na beleza feminina, vez que seu potente efeito diurético é um grande aliado na luta contra celulite. Ao tomar o chá da vara age semelhante a uma drenagem linfática. Para conseguir obter os efeitos positivos é recomendado tomar duas xícaras deste chá no máximo duas vezes por dia.

Ingredientes

  • 30 gramas de folha de vara.
  • 1 litro de água.

Modo de preparo

  • Coloque a água em uma chaleira e leve ao fogo.
  • Assim que a água ferver coloque as folhas de vara.
  • Tampe a chaleira e aguarde por 10 minutos.
  • Após este tempo desligue e espere esfriar.
  • Coe a infusão.
  • Se necessário adoce com mel.

Contraindicações e efeitos colaterais da vara-de-ouro

O chá de vara-de-ouro é contraindicado para pacientes com insuficiência nos rins, insuficiência cardíaca ou hipertensão. Mulher no período de gestação ou de amamentação também não devem consumir a planta.

História e curiosidades

O nome de gênero, Solidago, é oriundo do latim “solide“, que significa “fazer inteiro“. Durante a Revolta do Chá de Boston, milhares de caixas de chá inglês foram jogados no mar no Porto de Boston. Diante de tal fato, os nativos norte-americanos consumiram bastante chá de vara-de-ouro e o apelidaram de “chá da liberdade”.

A vara-de-ouro é nativa da Europa, sobretudo de Portugal, contudo, pode ser encontrada em diversos lugares da Ásia, América do Norte e Norte da África. A Solidago spp cresce em um caule ereto a sua altura varia de quinze centímetros a um metro. Suas folhas possuem formato oval, são pecioladas e dentadas, lisas na sua parte superior e com pelos na parte inferior. Floresce no verão e apresenta flores de cor amarela em um tom bastante intenso, o que deu a origem ao nome popular.

Referências:
Vara de oro propiedades medicinales. Buena Salud.
The Standing People: Field Guide of Medicinal Plants for the Prairie Provinces.
Herbal Medicinals: A Clinician’s Guide.
Wojcikowski, K., Stevenson, L., Leach, D., Wohlmuth, H., & Gobe, G. (2007). Antioxidant capacity of 55 medicinal herbs traditionally used to treat the urinary system: a comparison using a sequential three-solvent extraction process. The Journal of Alternative and Complementary Medicine, 13(1), 103-110.
Chodera, A., et al. “Effect of flavonoid fractions of Solidago virgaurea L on diuresis and levels of electrolytes.” Acta poloniae pharmaceutica 48.5-6 (1991): 35-37.

Comentários

Comentar