Amora: benefícios e propriedades medicinais

A amora (Morus spp.) é o fruto da amoreira, também conhecida como mulberry (inglês). As amoras de nome popular incluem as as espécies Morus nigra (amora-comum, amora-preta ou amoreira-preta), Morus Alba (amora-branca ou amoreira-branca) e Morus rubra (amora-vermelha). Pertence à família Moraceae.

Benefícios da amora

Partes diferentes da amora possuem propriedades distintas. A folha da age como alterativo, analgésico, antibacteriano, antipirético, anti-inflamatório, diaforético e expectorante. As bagas tônicas para o sangue, laxativas, nutritivas e refrigerantes. A fruta, folhas e cascas são anti-helmínticas e a casca é anti-inflamatória, catártica, diurética, expectorante e dilatadora bronquial. Os ramos agem como alterativo, antiespasmódico, antirreumático e diurético. As frutas contém açúcar, ácido málico, pectina, vitaminas B1 e B2, betacaroteno, tanino e ácido linoleico.

Além de propriedades e uso ligeiramente diferentes, as partes da planta possuem propriedades energéticas diferentes também. A amora-branca (Morus alba) possui propriedades renais. Suas folhas são utilizadas na medicina alternativa para curar resfriados, gripes, febres, tosses e dores de garganta. Os frutos são usados para tratar anemias e constipação.

Os ramos da Morus nigra são usados popularmente contra a hipertensão, as folhas para diabetes, a raiz é contra a solitária e as frutas contra fraqueza, úlceras e vertigem. A folha da amora-preta também é utilizada para desinfeccionar pulmões e assim aliviar tosses e problemas respiratórios. Popularmente, é feito o gargarejo com o suco de amoras (tanto as amoras-pretas, quanto as amoras-brancas) para tratar dores de garganta. Todas as amoras são ricas em vitamina C e caracterizam-se por sua forma típica, gerada a partir do agrupamento de vários e minúsculos frutos que se unem formando uma polpa rica em água e açúcar.

Uso na culinária

Na culinária, os brotos jovens da árvore da amoreira são comestíveis ao serem cozidos. As frutas são usadas em tortas, pudins, vinhos e saladas de frutas. As frutas são geralmente consumidas ao natural e podem ser servidas também com creme de chantilly. São igualmente deliciosas quando utilizadas no preparo de tortas, sorvetes, compotas, geleias, doces cristalizados ou em massa, ou transformadas em vinhos, licores e xaropes.

Contraindicações e efeitos colaterais da amora

As frutas verdes e o talo das folhas das variedades preta e branca são tóxicas e podem causar dores no estômago. O consumo excessivo de frutas pode causar diarreia. As folhas não devem ser consumidas por pessoas com problemas pulmonares ou digestivos.

História e curiosidades

Na mitologia grega, a árvore de amora foi dedicada à deusa Minerva. A amoreira era considerada a mais sábia de todas as árvores, vez que esperava passar todo o período de frio para brotar suas folhas. O nome amora provem do nome latim morari, que significa demorar. A Morus spp faz parte da Relação Nacional de Plantas Medicinais de Interesse ao SUS (RENISUS), constituída de espécies vegetais com potencial de avançar nas etapas da cadeia produtiva e de gerar produtos de interesse do Ministério da Saúde do Brasil.

Referências:
Ercisli, Sezai, and Emine Orhan. “Chemical composition of white (Morus alba), red (Morus rubra) and black (Morus nigra) mulberry fruits.” Food Chemistry 103.4 (2007): 1380-1384.
Kar, P. K., Srivastava, P. P., Awasthi, A. K., & Urs, S. R. (2008). Genetic variability and association of ISSR markers with some biochemical traits in mulberry (Morus spp.) genetic resources available in India. Tree genetics & genomes, 4(1), 75-83.
Pawlowska, Agata Maria, Wieslaw Oleszek, and Alessandra Braca. “Quali-quantitative analyses of flavonoids of Morus nigra L. and Morus alba L.(Moraceae) fruits.” Journal of agricultural and food chemistry 56.9 (2008): 3377-3380.

Comentários

1 comentário

Comentar