Diabetes tipo 1 e 2: melhores ervas

Diabetes mellitus

Conheça mais sobre algumas ervas para diabetes que ajudam a regular a taxa de açúcar no sangue e podem substituir o açúcar e outros adoçantes.

Atualizado em 18/06/2024

O diabetes é caracterizado por um aumento anormal da glicose ou açúcar do sangue e em casos de falta ou tratamento inadequado pode causar vários outras complicações, incluindo insuficiência renal, infartos, derrame cerebral, problemas visuais e lesões de difícil cicatrização.

Ervas para diabetes mellitus

O Diabetes mellitus é uma doença metabólica crônica que atinge cerca de 6% da população mundial. Com relação a alimentação, existem algumas opções benéficas para diabéticos, vez que regulam a taxa de açúcar no sangue e podem substituir o açúcar e outros adoçantes. Além disso, algumas ervas podem aumentar a sensibilidade à insulina, reduzir a pressão arterial elevada e diminuir o colesterol alto. As ervas para diabéticos, apesar de apresentarem pouco ou nenhum efeito colateral, devem ser adicionadas à dieta sob supervisão médica.

As ervas para diabetes listadas abaixo estão disponíveis para consulta com fins educativos, de pesquisa e informação, reiterando que as informações abaixo não substituem diagnóstico ou tratamento médico e não devem ser utilizadas sem indicação e supervisão médica profissional.

Açafrão-da-terra (cúrcuma)

Curcuma longa - ACAFRÃO-DA-ÍNDIA

Curcuma longa – ACAFRÃO-DA-ÍNDIA

O açafrão-da-terra, ou cúrcuma (Curcuma longa), é amplamente reconhecido por suas propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes, graças ao composto ativo curcumina. Para o diabetes tipo 1 e tipo 2, a cúrcuma pode ajudar a reduzir a inflamação crônica e melhorar a sensibilidade à insulina. Estudos sugerem que o consumo regular de cúrcuma pode diminuir os níveis de glicose no sangue e reduzir o risco de complicações associadas ao diabetes.

Alho

Alho

Alho

O alho é uma erva medicinal conhecida por suas propriedades antidiabéticas, antibacterianas e anti-inflamatórias. Consumir alho regularmente pode ajudar a regular os níveis de glicose no sangue, melhorar a sensibilidade à insulina e reduzir o colesterol. Compostos sulfurados no alho, como a alicina, são responsáveis por seus efeitos benéficos na saúde cardiovascular e no controle do diabetes.

Berberina

Berberina - Berberis vulgaris

Berberina – Berberis vulgaris

A berberina é um alcaloide encontrado em várias plantas, incluindo a Berberis vulgaris. Demonstrou-se que a berberina pode melhorar a sensibilidade à insulina e reduzir a produção de glicose no fígado, sendo útil no controle do diabetes tipo 2. Além disso, berberina tem efeitos anti-inflamatórios e antioxidantes que ajudam a proteger contra complicações diabéticas.

Canela

Canela - Cinnamomum zeylanicum

Canela – Cinnamomum zeylanicum

A canela é uma erva conhecida por sua capacidade de melhorar a sensibilidade à insulina e baixar os níveis de glicose no sangue. Consumir canela regularmente pode ajudar a controlar o diabetes tipo 2, diminuindo a resistência à insulina. Estudos sugerem que a canela pode retardar o esvaziamento gástrico, o que reduz picos de glicose pós-refeição e melhora o controle glicêmico geral.

Estévia

Estévia (Stevia rebaudiana)

Estévia (Stevia rebaudiana)

A estévia (Stevia rebaudiana) é uma planta utilizada como um adoçante natural sem calorias, ideal para pessoas com diabetes. Além de não afetar os níveis de glicose no sangue, compostos na stevia mostraram melhorar a sensibilidade à insulina e reduzir a glicose no sangue. Stevia é uma excelente alternativa ao açúcar para ajudar no controle glicêmico e na prevenção de picos de açúcar no sangue.

Feno-grego

Feno Grego - trigonella foenum-graecum

Feno Grego – trigonella foenum-graecum

O feno-grego contém fibras solúveis que ajudam a controlar os níveis de glicose no sangue, tornando-o útil tanto para diabetes tipo 1 quanto tipo 2. As sementes de feno-grego podem melhorar a tolerância à glicose e reduzir a resistência à insulina. Além disso, feno-grego possui propriedades antioxidantes que ajudam a proteger contra complicações diabéticas.

Ginseng

Ginseng

Ginseng

O ginseng (Panax ginseng) reduz a absorção de carboidratos pelo organismo, aumenta a capacidade das células de usar glicose, aumenta a secreção de insulina pelo pâncreas e ajuda a estabilizar os níveis de açúcar no sangue. Em um estudo clínico randomizado publicado na Journal of the American College of Nutrition, pesquisadores procuraram fornecer evidências de eficácia e segurança no uso do ginseng para diabetes. O ginseng-americano é útil para melhorar o controle do diabetes e reduzir fatores de risco associados, tais como hiperlipidemia e hipertensão, além de melhorar a resistência à insulina. Eles também descobriram que o Panax quinquefolius atua no trato digestivo para aumentar a secreção de insulina.

Gymnema Sylvestre

Gymnema sylvestre

Gymnema sylvestre

A Gymnema sylvestre é conhecida como “destruidora de açúcar” devido à sua capacidade de reduzir os níveis de glicose no sangue e suprimir o desejo por açúcar. Quando consumida antes das refeições, deixa os blocos de açúcar com gosto mais acido, reduzindo assim, o desejo de consumir açúcar. As moléculas do principio ativo da Gymnema sylvestre bloqueiam os receptores de gosto açucarado nas papilas gustativas por algumas horas.  Esta erva pode melhorar a função das células beta no pâncreas, promovendo a produção de insulina e melhorando o controle do diabetes tipo 1 e tipo 2. Gymnema também pode ajudar a regenerar células pancreáticas danificadas.

Moringa

Moringa oleifera - MORINGUEIRO

Moringa oleifera – Moringueiro

A Moringa oleifera é uma planta altamente nutritiva que possui propriedades antidiabéticas. As folhas de moringa podem ajudar a baixar os níveis de glicose no sangue e melhorar a sensibilidade à insulina. Além disso, moringa é rica em antioxidantes e outros nutrientes essenciais que promovem a saúde geral e ajudam a prevenir complicações diabéticas.

Sálvia

Sálvia - Salvia officinalis

Sálvia – Salvia officinalis

A sálvia é uma erva conhecida por suas propriedades antioxidantes e antidiabéticas. O consumo de sálvia pode melhorar o metabolismo da glicose e aumentar a sensibilidade à insulina, tornando-a útil no tratamento do diabetes tipo 2. Sálvia também pode ajudar a reduzir os níveis de colesterol e triglicerídeos, melhorando a saúde cardiovascular em pessoas com diabetes.

Referências:
American Ginseng Stimulates Insulin Production.
Borg, Sandra. The Complete Guide to Nutritional Healing. Bantam Books, 2016.
Grotto, David. 101 Foods That Could Save Your Life. Bantam Books, 2010.
Murray, Michael T. The Encyclopedia of Healing Foods. Atria Books, 2005.
Pitchford, Paul. Healing with Whole Foods: Asian Traditions and Modern Nutrition. North Atlantic Books, 2002.
Pratt, Steven, and Kathy Matthews. SuperFoods HealthStyle: Simple Changes to Get the Most Out of Life for the Rest of Your Life. HarperCollins, 2006.
Werbach, Melvyn R. Nutritional Influences on Illness. Third Line Press, 1996.