Hortelã-pimenta: saiba para que serve

Conheça os benefícios, efeitos, indicações e propriedades do hortelã-pimenta (Mentha piperita), planta medicinal muito usada em forma de chá e óleo essencial.

Atualizado em 19/09/2022

O hortelã-pimenta (Mentha piperita) é uma planta medicinal também conhecida como hortelã, hortelã-menta, spearmint e mint (inglês). Inclui os sinônimos botânicos Mentha crispa e Mentha villosa. Pertence à família Lamiaceae.

Benefícios da hortelã-pimenta

A hortelã-pimenta é uma das plantas medicinais mais antigas utilizadas pelo homem. O óleo essencial é acrescentado a óleos de massagem para congestões de tórax, dores e febres provenientes de gripes, além de ser inalado para alivar congestões e náuseas. É usado em pastas de dentes para dar um sabor agradável. Devido ao mentol, a hortelã é recomendada para aliviar dores, sejam musculares, causadas por atividade física ou não, dores reumáticas ou enxaquecas. A menta é um antiparasítico e antivirótico muito forte.

Emagrecimento

Um estudo da Wheeling Jesuit University acompanhou 27 adultos durante cinco dias e descobriu que aqueles que inalavam o óleo de menta a cada duas horas consumiam cerca de 350 calorias a menos por dia do que aqueles que não inalavam. O resultado também foi semelhante em pessoas que mascaram folhas ou até mesmo chicletes com aroma de menta. O estudo apontou que a hortelã-pimenta reduziu o apetite na maioria das pessoas. Desta forma, ficou apontado que o chá de hortelã pode ajudar as pessoas a perderem alguns quilos não desejados. Adicionar menta na composição de chocolates pode ser útil para chocólatras que desejam reduzir o apetite.

Óleo de menta

Óleo de menta

Óleo de menta

O óleo de menta possui como principais funções aliviar a congestão nasal, curar distúrbios no estômago e intestinos, auxiliar no tratamento da herpes, estimular o crescimento capilar, melhorar os processos respiratórios e remover o mau hálito. A menta é capaz de amenizar bronquites, gripes, resfriados e rouquidão quando usada por meio de massagens no peito ou vaporizações. Isso ocorre porque o óleo de menta contém ácido rosmarínico, substância que age diretamente sobre os causadores da asma. As propriedades antissépticas do óleo de menta eliminam as bactérias no couro cabeludo, fazendo com que a raiz do cabelo fique mais saudável. Massagear o couro cabeludo com o óleo aumenta a circulação do sangue no local, potencializando a nutrição do folículo piloso e estimulando o crescimento mais rápido dos fios.

Uso na culinária

Na culinária, o hortelã é uma escolha melhor para artes culinárias do que a menta. As folhas frescas são acrescentadas a carnes, iogurte, saladas de frutas, salada vegetal e sopas. O hortelã-pimenta melhora o sabor de outras ervas medicinais. Plantar algumas mudas em pequenas hortas é simples, vez que a planta é muito saudável e possui grande adaptabilidade.

Contraindicações e efeitos colaterais da hortelã

A hortelã-pimenta é uma erva medicinal considerada muito segura e pode ser usada até mesmo pelas pessoas mais debilitadas. Crianças pequenas não devem usar o óleo essencial, tampouco as mulheres gravidas e lactantes, uma vez que o óleo pode diminuir o fluxo de leite.

História e curiosidades

Na mitologia grega, Minthe era um amante de Plutão. A esposa de Plutão, Prosperine, com ciúmes, transformou Minthe na planta hortelã. Os atenienses da antiguidade esfregavam as folhas nos braços para aumentar a resistência a doenças. A Mentha spp (M. crispa, M. piperita ou M. villosa) faz parte da Relação Nacional de Plantas Medicinais de Interesse ao SUS (RENISUS), constituída de espécies vegetais com potencial de avançar nas etapas da cadeia produtiva e de gerar produtos de interesse do Ministério da Saúde do Brasil.

Referências:
McKay, D. L., & Blumberg, J. B. (2006). A review of the bioactivity and potential health benefits of peppermint tea (Mentha piperita L.). Phytotherapy Research: An International Journal Devoted to Pharmacological and Toxicological Evaluation of Natural Product Derivatives, 20(8), 619-633.
Tassou, C. C., E. H. Drosinos, and G. J. E. Nychas. “Effects of essential oil from mint (Mentha piperita) on Salmonella enteritidis and Listeria monocytogenes in model food systems at 4 and 10 C.” Journal of Applied Bacteriology 78.6 (1995): 593-600.