Óleo de camomila: efeitos e propriedades

Óleo de Camomila

Benefícios, composição, modo de uso, propriedades funcionais, medicinais e terapêuticas do óleo de camomila, muito usado em função dos seus ativos calmantes

Atualizado em 30/06/2022

A camomila (Matricaria recutita) é uma das herbáceas mais populares devido às suas propriedades medicinais. Embora sejam diversas as preparações , o óleo de camomila tem ganhado destaque na cosmetologia. Isso ocorre graças às suas propriedades calmantes e de clareamento. Existem duas variações principais dessa planta: a camomila-alemã (Matricaria chamomilla) e a camomila romana (Chamaemelum nobile). Ambas são bastante similares na aparência e propriedades medicinais.

Composição e extração do óleo de camomila

Diversos são os constituintes fitoquímicos do óleo de camomila, que incluem flavonoides, cumarinas, ácidos vegetais, ácidos graxos, glicosídeos cianogênicos, colina, tanino e derivados de salicilato. A maior parte das suas propriedades são atribuídas aos flavonoides e ao óleo essencial. O óleo de camomila contém 0,24-1,9% de óleo volátil (ou óleo essencial), que é uma mistura aromática e complexa de diferentes óleos. Foi possível identificar 28 terpenoides e 36 flavonoides nesse óleo, mas destaca-se dois componentes com propriedades mais bioativas: bisabolol e camazuleno. Para se obter o óleo vegetal de camomila, é feita uma maceração da camomila em óleo vegetal.

Benefícios e usos do óleo de camomila

Tradicionalmente, a camomila é usada há séculos devido às suas propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias, curativas e sedativas. Os óleos vegetais da camomila são usados principalmente em cosméticos. Para clarear e revigorar o cabelo e a pele, algumas gotas do seu óleo podem ser diluídas em shampoo, condicionador ou hidratante. Um estudo ainda demonstrou que os óleos da camomila conseguem penetrar as camadas mais profundas da pele, sendo crucial para seu efeito anti-inflamatório tópico. Por isso o óleo vegetal de camomila também pode ser utilizado no tratamento de feridas, úlceras, eczema, gota, irritações cutâneas, hematomas, queimaduras, neuralgia, ciática, dores reumáticas, hemorroidas, mastites, dentre outras condições e saúde e enfermidades.

Ação calmante

Uma das propriedades da camomila que merece destaque é o seu efeito calmante e sedativo. O efeito ansiolítico que a essa planta apresenta está relacionado com o flavonoide apigenina, o qual é capaz de se ligar a receptores GABA-A cerebrais. Por isso ela é frequentemente utilizada para melhorar os distúrbios do sono e aliviar a ansiedade.

Alívio gastrointestinal

A camomila também tem sido usada no tratamento vários distúrbios gastrointestinais, que incluem anorexia, diarreia, enjoos, flatulência, indigestão, náuseas e vômitos. Isso em razão de ser particularmente útil para eliminar gases, acalmar o estômago e relaxar os músculos do intestino. Como exemplo desse seu uso, a camomila pode ser usada de forma confiável para tratar cólicas em bebês, segundo estudos.

Atividade anticancerígena

A maior parte dos estudos envolvendo a atividade anticancerígena da camomila envolve a apigenina. Esse ativo, presente no extrato da camomila, demonstrou inibição promissora do crescimento tumoral em câncer de pele, próstata, mama e ovário. Pesquisas recentes ainda mostraram que os seus efeitos inibidores se não se estendem às células saudáveis, somente às cancerígenas.

Atua contra resfriados comuns

Estudos indicam que inalar vapor com extrato de camomila tem sido útil no alívio dos sintomas do resfriado comum, tais como dor de cabeça e febre.

Contraindicações e efeitos colaterais do óleo de camomila

O uso é contraindicado na gravidez e fase de amamentação. Não há causas que apontem em estudos intoxicação pelo uso da camomila. A camomila tem sido utilizada há séculos, sendo considerada segura quando utilizada como um chá calmante. Apenas uma baixa porcentagem de pessoas desenvolve reações alérgica à camomila, podendo ser mais propensas aquelas alérgicas a plantas que produzem crisântemos ou pólen. Evidências de interação da camomila com outras drogas não é bem documentada e requer mais estudos.

Óleo de Camomila: INFORMAÇÕES

Nome científico

Matricaria chamomila

Benefícios primários

Efeito anti-inflamatório e calmante.

Composição química

Apigenina, óleos essenciais, sesquiterpenos, azulenos (camazuleno), lactonas sesquiterpênicas, flavonóides, cumarinas, taninos, ácidos fenólicos, angélicos, mucossacarídeos, matricina, resinas, taninos, princípios amargos, mucilagens, polissacarídeos, éteres bicíclicos, ácidos orgânicos e vitamina C.

Parte utilizada

Óleo extraído da planta.

Modo de uso

Adicionar algumas gotas do óleo puro na área de interesse ou diluir em máscaras, xampus, condicionadores, cremes sem enxágue ou até mesmo à água, para borrifar nos cabelos.

Precauções

Uso externo. Pode causar irritação cutânea. Mantenha fora do alcance de crianças. Em caso de gravidez ou em caso de tratamento, consulte o seu médico. Evite contato com os olhos, ouvidos e áreas sensíveis. Em caso de contato com os olhos, enxágue com óleo vegetal em abundância. Em caso de irritação, descontinue o uso e procure um médico. Mantenha o produto ao abrigo da luz e do calor.

História e curiosidades sobre o óleo de camomila

Uma das plantas herbáceas mais comumente utilizadas no mundo é a camomila. O nome dessa planta muito aromática deriva da expressão grega Kamai melon, que significa “maçã da terra”. Nativa da Europa Ocidental, Índia e Ásia Ocidental, seu uso data desde a antiguidade pelos egípcios, gregos e romanos. Ela é bem conhecida pelas suas propriedades medicinais, cosméticas, ornamentais e aromáticas. Como exemplo de seu uso medicinal, os egípcios atribuíram à erva uma cura para a malária e até mesmo dedicaram a camomila a seu deus do sol, Rá. Já os antigos saxões a consideram uma das nove ervas sagradas.

A camomila pertence à família das margaridas (Asteraceae ou Compositae), e, por isso, suas inflorescências são semelhantes às dessas flores, embora sejam menores. Elas apresentam centro amarelo e corola simples de pétalas brancas; seus caules alcançam certa de 30 a 50 cm de altura e suas folhas são verdes, lisas na parte superior e recortadas em segmentos afilados. A floração acontece na primavera e verão.

Referências:
LONGE, Jacqueline L. The GALE ENCYCLOPEDIA of Alternative MEDICINE, Vol. 3, Jacqueline L. Longe, 2005, Thomson Gale. Thomson Gale, a part of The Thomson Corporation., 2005.
LORENZI, H.; MATOS, F. J. A. Plantas medicinais no Brasil: nativas e exóticas cultivadas. 2 ed. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2008.
SRIVASTAVA, Janmejai K.; SHANKAR, Eswar; GUPTA, Sanjay. Chamomile: a herbal medicine of the past with a bright future. Molecular medicine reports, v. 3, n. 6, p. 895-901, 2010