Jaborandi: saiba para que serve a planta

Pilocarpus microphyllus - JABORANDI

Conheça os benefícios, efeitos colaterais, modo de uso e propriedades medicinais do jaborandi - Pilocarpus microphyllus, planta medicinal nativa do Brasil.

Atualizado em 27/12/2023

O jaborandi (Pilocarpus microphyllus) é uma planta medicinal bastante popular, também conhecida como jaborandi-legítimo, jaborandi-verdadeiro, yaborã di (Tupi), jaborandi-manso, jaborandi-pernambucano, jaborandi-três-folhas e jaborandi-do-Maranhão. Inclui o sinônimo botânico Pilocarpus jaborandi e também pode ser referenciado como Pilocarpus cearensis. O jaborandi é uma planta de origem brasileira, bastante comum nas regiões Norte e Nordeste.

Benefícios e propriedades medicinais do jaborandi

O Jaborandi possui uma série de componentes extremamente benéficos para o nosso organismo. Entre os componentes químicos que podemos destacar como principais estão: resinas, alcaloides, ácido policárpico, pilocarpina, ácido jabórico, isopilocarpina, taninos, pilosina, terpenos, pilocarpidina, 2-trideconona óleo essencial e cariofileno. Devido aos seus componentes, possui diversas propriedades medicinais, sendo um excelente anti-inflamatório natural, bem como um ótimo tônico e antirreumático.

Além disso, é muito indicado para tratamentos capilares graças as suas substâncias anti-queda de cabelos e de estimulação de crescimento capilar. Outras propriedades medicinais que podem ser destacadas são: vasodilatador, depressor cardíaco, sudorífera, diaforética, sialagoga, emoliente, miótica, expectorante, laxativa, febrífuga e hipoglicêmica. Por conta de todas essas propriedades, o jaborandi é indicado para o tratamento de diferentes tipos de distúrbios, desde queda de cabelo até diabetes. É constantemente usado no tratamento de doenças virais, tais como gripes, resfriados e pneumonias.

Além disso, também é indicado para distúrbios respiratórios, incluindo a asma, e a bronquite. Pode ser usado, também, como medicamento para: reumatismo, afecção catarral, pleurisia, afecções reumáticas, nefrite, artrite, caxumba, leucorreia, cólica intestinal e hepática, intoxicação urêmica, dor de dente entre outros problemas de saúde. O jaborandi estimula a salivação, além disso, alivia a pressão do glaucoma, vez que estimula os músculos que fazem o olho contrair, o que pode reduzir a ocorrência de cegueira. A erva é misturada à shampoos e condicionadores para prevenir e auxiliar no tratamento da calvície. Também é usado em colírios para estimular a contração depois do uso de atropina.

Como usar o jaborandi

O jaborandi pode ser usado de diferentes maneiras, contudo, é preciso tomar alguns cuidados. A pilocarpina que é uma das substâncias ativas da planta, é destruída durante o processo de ebulição, por isso, a melhor maneira de consumir a erva é usando a infusão ou maceração. Dentro do organismo possui um efeito antagônico ao da pilocarpina. Por isso, quando a intenção é consumir internamente, o ideal é procurar produtos comerciais, que geralmente são encontrados em casas de ervas ou lojas de produtos naturais.

Também é possível usar a planta de outras maneiras. Para enxaguar os cabelos, por exemplo, o ideal é usar uma 50g da erva para cada litro de água, sempre usando a decocção. No caso de usar o pó das folhas, o ideal é consumir de duas a cinco gramas da substância, sempre em doses unitárias de 0,5g. Nunca deve ser excedido o limite de 5g diários, vez que isso pode acarretar uma série de efeitos colaterais. É possível ainda fazer a infusão da planta. Para isso, se deve ferver 20g de folhas secas juntamente como um litro de água, por cerca de 10 minutos. O ideal é consumir cerca de duas xícaras por dia, de preferência entre as refeições.

Contraindicações e efeitos colaterais do jaborandi

Por conter uma série de componentes químicos, o uso deve ser sempre sob orientação médica. É importante ressaltar que existem alguns grupos de pessoas que não devem consumir a erva, incluindo gestantes, lactantes e indivíduos que sofram de problemas cardíacos. Para essas pessoas a ingestão da erva pode acarretar consequências ainda mais sérias. De modo geral, não existem estudos que comprovem com exatidão a toxidade da Pilocarpus microphyllus. Contudo, diversas pesquisas já demonstraram que o consumo excessivo e em altas quantidades pode gerar diversos efeitos colaterais. Os mais comuns são: irritação ocular, vômitos, insuficiência cardíaca e diarreia. Em casos extremos, pode ocorrer hemólise eritrocitária. Por isso, antes de começar a ingerir a erva sempre consulte um médico.

História e curiosidades

As espécies do gênero Pilocarpus se desenvolvem principalmente em terrenos pedregosos, bem como em meio a vegetações do carrasco. Pode ser encontrado desde a Amazônia até em determinadas regiões do Piauí. Quando uma folha de jaborandi é segurada contra a luz, é possível observar as glândulas cheias de óleo alcaloide. A Pilocarpus microphyllus faz parte da família das Rutaceae.

Referências:
COSTA, JPC da. “(Pilocarpus microphyllus).” (1994).
Herbs. ZP.
Pilocarpus jaborand Holmes – Plantamed.