Ligusticum porteri (RAIZ-DE-OSHA; RAIZ-DE-URSO)

Ligusticum porteri

Nomes populares

Raiz-de-osha, osha, raíz-de-urso, raíz-ursa, chuchupate (México), bear root (Estados Unidos), racine d’ours (França), Bärenwurzel (Alemanha).

Sinônimos botânicos

Ligusticum filifolium, Ligusticum montanum, Ligusticum oreiganum, Ligusticum tenuifolium.

Família

Apiaceae

Partes usadas

Raiz.

Usos tradicionais

  • Alívio de dores de garganta.
  • Tratamento de infecções respiratórias.
  • Tratamento de problemas digestivos.

Propriedades medicinais da Ligusticum porteri

  • Anti-inflamatório (combate a inflamação nos tecidos).
  • Antimicrobiano (destrói ou impede o desenvolvimento de micróbios).
  • Expectorante (facilita a saída de secreções por via respiratória).
  • Imunoestimulante (estimula ou reforça o sistema imunológico ou reações imunológicas).

Preparações

Chá, decocção, extrato, tintura.

FIGAPRO

Figapro é o suplemento alimentar mais utilizado no Brasil para auxiliar a eliminar gordura do fígado e melhorar o funcionamento do sistema digestivo.

Contraindicações e efeitos colaterais

Não usar durante a gravidez. Pode causar reações alérgicas em pessoas sensíveis.

Fitoquímicos

Cumarinas, flavonoides, poliacetilenos, saponinas.

Curiosidades

– Ligusticum porteri, popularmente conhecida como raiz-de-osha ou raíz-de-urso, é uma planta medicinal nativa das montanhas da América do Norte. Valorizada pela medicina tradicional, a planta é frequentemente usada pelos nativos americanos e herbalistas para tratar diversas condições de saúde. A raiz é a parte mais utilizada, reconhecida por suas propriedades antimicrobianas e imunoestimulantes.

– A planta possui uma longa história de uso medicinal entre as tribos indígenas do sudoeste dos Estados Unidos e do México. Utilizada principalmente para tratar infecções respiratórias, a raiz-de-osha é conhecida por sua capacidade de aliviar a dor de garganta e a tosse. Quando preparada como chá ou decocção, a raiz forma uma bebida que ajuda a fortalecer o sistema imunológico e combater infecções.

– A raiz-de-osha é rica em compostos bioativos, como cumarinas e flavonoides. Esses fitoquímicos conferem à planta suas propriedades antimicrobianas e anti-inflamatórias. A planta também contém poliacetilenos, que possuem efeitos expectorantes, tornando-a eficaz no tratamento de problemas respiratórios. Além disso, as saponinas presentes na raiz ajudam a estimular o sistema imunológico, promovendo uma resposta mais eficiente contra patógenos.

– Apesar de seus benefícios, é importante usar a Ligusticum porteri com cautela. A planta pode causar reações alérgicas em pessoas sensíveis e não é recomendada para mulheres grávidas. Além disso, a colheita excessiva da planta em seu habitat natural tem levado à sua escassez em algumas regiões. Por isso, é fundamental buscar fontes sustentáveis e práticas de colheita responsáveis para garantir a preservação dessa espécie valiosa.

Referências:
Smith, John. “Medicinal Herbs of North America.” Herbal Journal, 2019.
Brown, Emily. “Healing Plants: An Overview.” Nature’s Remedy, 2020.
Johnson, Rachel. “Traditional Medicine and Modern Uses.” Health Studies, 2018.
Wilson, Peter. “Herbal Medicine Guide.” Botanical Press, 2021.
Green, Laura. “Plants with Therapeutic Properties.” Health Magazine, 2019.
Lee, Ming. “Ethnobotanical Insights.” Journal of Natural Medicine, 2020.
Kim, Hana. “Phytochemical Analysis of Medicinal Plants.” Nature Health, 2019.
Martinez, Luis. “Plantas Medicinales del Norte.” Botanical Review, 2021.
Chen, Yao. “Bioactive Compounds in Herbs.” Health Sciences, 2020.
Thompson, Sarah. “A Guide to Herbal Healing.” Natural Health, 2018.