Myristica fragrans (NOZ-MOSCADA)

Myristica fragrans (NOZ-MOSCADA)

Por Medicina Natural

MYRISTICA FRAGRANS

Nomes populares

Noz-moscada, moscadeira, nutmeg (inglês)

Sinônimos botânicos


Myristica aromatica, Myristica moschata, Myristica officinalis.

Família

Myristicaceae

Partes usadas

Macis (cobertura exterior) e sementes.

Usos tradicionais

Abscessos, aftas, anemia, arrotos, asma, cólica intestinal, cólicas estomacais, debilidade, diarreia crônica, dispepsia, doenças do estômago, dor lombar, dores do estômago, dores reumáticas, estimulante cerebral, estresse, flatulência (gases intestinais), gota, hemorragias, hemorroidas, inchaço, leucorreia, mau hálito, perda de memória, problemas digestivos comuns.

Propriedades medicinais da Myristica fragrans

Afrodisíaco (agentes químicos que estimulam o desejo sexual)
Alucinógeno (provoca alucinações artificiais ou estados eufóricos patológicos)
Antiemético (alívia sintomas relacionados com o enjoo, as náuseas e os vômitos)
Antiespasmódico (inibe a motilidade da musculatura visceral, prevenindo a ocorrência de espasmos no estômago, intestino, útero ou bexiga)
Anti-inflamatório (combate a inflamação nos tecidos)
Antimicrobiano (destrói ou impede o desenvolvimento de micróbios)
Aperitivo (ingerido antes de uma refeição, ajuda a estimular o apetite)
Aromático (possui odor acentuado e agradável)
Carminativo (atua na redução dos gases intestinais)
Digestivo (ajuda ou promove a digestão dos alimentos)
Diurético (atua no rim, aumentando o volume e o grau do fluxo urinário)
Emoliente (hidrata a pele e restaura a oleosidade perdida devido ao ressecamento. Usado em cremes hidratantes)
Estimulante (produz um aumento temporário da atividade funcional de um organismo ou de qualquer parte dele)
Hipotensor (causa a queda da tensão arterial)
Sedativo acalma ou faz cessar dor, ansiedade; substância calmante, tranquilizante)
Tônico Estomacal (favorece a digestão e pode até estimular o apetite em alguns casos)

Preparações

Óleo essencial e pó fresco.

Fitoquímicos

Óleo essencial (borneol, canfeno, pineno, linalol, myristicina, safrol, eugenol), ácido oleico, ácido palmítico, ácido láurico e ácido linoleico. A macis (cobertura exterior) contém componentes semelhantes e níveis mais altos de myristicina.

Contraindicações e efeitos colaterais

Grandes quantidades de noz-moscada podem ter efeitos adversos, incluindo alucinações, batimentos cardíacos rápidos, náuseas, vômitos, dor de cabeça e alucinações. De acordo com o Manual de Segurança Botânica, a última morte relatada por intoxicação por noz-moscada foi em 1908. As doses medicinais de noz-moscada não foram provadas seguras para uso durante a gravidez ou a amamentação, contudo, as quantidades utilizadas na culinária são toleradas. Embora pequenas quantidades possam ser usadas para se obter um efeito calmante, quantidades maiores atuam como depressoras. Comer uma noz-moscada inteira pode causar sérios efeitos colaterais, incluindo visão dupla e delírio.

Curiosidades

– O nome de gênero Myristica é derivado do grego “myrrha“, recorrendo às qualidades aromáticas da noz.
– No século IV, a noz-moscada era tão cara, que para comprar meio quilo deste tempero era necessário dispender em forma de escambo cerca de três ovelhas, dois bezerros ou até uma vaca por isso.
– Devido ao fato de ser tão cara, a noz-moscada era um símbolo de status e, nobres da época levavam seu próprio tempero à restaurantes para dar sabor a comida.

Referências:
Gardner, Zoë, and Michael McGuffin, editors. American Herbal Products Association’s Botanical Safety Handbook. 2nd ed. (Boca Raton, FL: CRC Press, 2013), 587.
Alchemy of Herbs: Transform Everyday Ingredients into Foods and Remedies That Heal.
The German Commission E. Bundesinstitut für Arzneimittel und Medizinprodukte.
Herbs. ZP.


Conteúdo Relacionado

Fazer um comentário

O Medicina Natural utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação. OK