Nymphaea alba – LÍRIO-D’ÁGUA-BRANCO

Nymphaea alba

Nomes populares

Flor-de-lótus, lírio-d’água-branco, nenúfar-branco, ninfeia-branca, flor de loto (Espanha), white water lily (Inglaterra), nénuphar blanc (França), ninfea bianca (Itália), weiße seerose (Alemanha).

Sinônimos botânicos

Castalia alba, Nymphaea candida, Nymphaea lotus, Nymphaea odorata.

Família

Nymphaeaceae

Partes usadas

Folhas, flores, rizomas.

Usos tradicionais

  • Alívio de dores.
  • Combate à insônia.
  • Tratamento de inflamações.
  • Uso como adstringente.

Propriedades medicinais da Nymphaea alba

  • Adstringente (constringem tecidos e fecham poros na pele).
  • Antidiarreico (age para controlar a diarreia).
  • Anti-inflamatório (combate a inflamação nos tecidos).
  • Calmante (acalma ou faz cessar dor, ansiedade; substância calmante, tranquilizante).
  • Sedativo (acalma ou faz cessar dor, ansiedade; substância calmante, tranquilizante).

Preparações

Decocção, infusão, tintura.

FIGAPRO

Figapro é o suplemento alimentar mais utilizado no Brasil para auxiliar a eliminar gordura do fígado e melhorar o funcionamento do sistema digestivo.

Contraindicações e efeitos colaterais

Não deve ser usada por mulheres grávidas ou lactantes. Pode causar sonolência em doses elevadas.

Fitoquímicos

Alcaloides, flavonoides, taninos.

Curiosidades

– Nymphaea alba é uma planta aquática perene encontrada em lagos, lagoas e rios de águas calmas. Suas flores brancas flutuantes são icônicas e frequentemente associadas à serenidade e pureza, sendo amplamente representadas em obras de arte.

– Historicamente, a Nymphaea alba tem sido usada por diversas culturas devido às suas propriedades medicinais. Egípcios antigos valorizavam a planta não apenas por sua beleza, mas também por seus efeitos calmantes e analgésicos. Ela era parte integral de rituais e práticas de cura.

– Além de seu uso medicinal, a Nymphaea alba tem um papel ecológico significativo. Suas grandes folhas flutuantes fornecem sombra e habitat para várias espécies aquáticas, ajudando a manter o equilíbrio do ecossistema aquático e a proteger peixes e outros organismos.

– Estudos recentes têm investigado os compostos bioativos presentes na Nymphaea alba. Pesquisas mostram que seus extratos possuem propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes, corroborando seu uso tradicional. Contudo, é importante utilizar a planta sob orientação profissional para evitar possíveis efeitos colaterais.

Referências:
Barnes, Joanne, et al. *Herbal Medicines*. Pharmaceutical Press, 2007.
Duke, James A. *Handbook of Medicinal Herbs*. CRC Press, 2002.
Grieve, Maud. *A Modern Herbal*. Dover Publications, 1971.
Hoffmann, David. *Medical Herbalism: The Science Principles and Practices Of Herbal Medicine*. Healing Arts Press, 2003.
Mills, Simon, e Kerry Bone. *Principles and Practice of Phytotherapy: Modern Herbal Medicine*. Churchill Livingstone, 2000.
Newall, Carol A., et al. *Herbal Medicines: A Guide for Health-Care Professionals*. Pharmaceutical Press, 1996.
Wichtl, Max. *Herbal Drugs and Phytopharmaceuticals*. Medpharm, 2004.
Williamson, Elizabeth M. *Major Herbs of Ayurveda*. Churchill Livingstone, 2002.
Yarnell, Eric, e Kathy Abascal. *Clinical Botanical Medicine*. Mary Ann Liebert, 2003.
Ziegler, Joel. *Encyclopedia of Herbal Medicine*. Dorling Kindersley, 2016.