Benefícios da vitamina D3 (colecalciferol)

A vitamina D3 é uma vitamina solúvel em gordura que pode ser armazenada nas células adiposas para uso futuro e sua deficiência pode causar efeitos adversos sobre a saúde. A melhor fonte da vitamina D é o colecalciferol (vitamina D3), produzido pelo organismo humano quando o mesmo está exposto diretamente aos raios UVB do sol. Há também o ergocalciferol, conhecido como vitamina D2.

Benefícios da vitamina D3

A vitamina D promove a saúde dos dentes e ossos em crianças, contribuindo para o não aparecimento do raquitismo. Além disso, melhora a densidade óssea (massa óssea), auxilia na construção e prevenção da perda óssea e protege o corpo contra a fraqueza muscular, vez que promove a maior absorção de cálcio no sangue. Condições de pacientes portadores de artrite reumatoide podem ser melhoradas com boas fontes de vitamina D. A vitamina D3 reduz o risco de certos tipos de câncer em homens e mulheres, como câncer de próstata, câncer de mama e câncer de cólon.

Também previne ou melhora as condições, tais como diabetes e esclerose múltipla, além de diminuir o risco de doença cardíaca, controlar a pressão arterial e reduzir os níveis de colesterol ruim no corpo. Outra função é de aprimorar o funcionamento do sistema imunológico, prevenindo assim, o surgimento de doenças autoimunes, como a gripe e alergias sazonais.

Combate a artrite reumatoide

Mulheres adultas que consomem regularmente um multivitamínico com apenas 0,67mg/dia de vitamina D, segundo estudos, possuem um risco 40% menor de desenvolver artrite reumatoide (AR). Outro estudo mostrou que doses elevadas de suplementação resultaram numa melhoria de sintomas de artrite reumatoide em 89% dos pacientes sendo que 45% deles obtiveram uma remissão completa da doença, comprovando os benefícios desse nutriente para a saúde das articulações.

Promove a saúde da mulher

A vitamina D3 impede o aparecimento e trata raquitismo e osteoporose em mulheres na pós-menopausa. Reduz o risco de fraturas em quedas de pessoas com condição de risco para a osteoporose (incluindo a forma induzida por corticosteroides) e osteomalacia. Também pode reduzir riscos associados à gravidez certas infecções relacionadas, incluindo vaginose bacteriana (vaginite), que representa uma ameaça de parto prematuro e óbito fetal.

Previne o Mal de Alzheimer

Quantidades suficientes do nutriente são importante para a saúde neurológica. Atualmente, existem mais de 35 milhões de pessoas com Mal de Alzheimer em todo o mundo. Cerca de 90% dos pacientes com Alzheimer têm níveis baixos de vitamina D, fator que leva muitos pesquisadores a examinarem a questão. Um estudo recente mostrou que o grupo de mulheres idosas que ingeriu maior quantidade de vitamina D (20% dos participantes) experimentou menor incidência da doença de Alzheimer em relação ao grupo controle. Outro estudo realizado com 300 idosos demonstrou que houve aumento de cerca de 250% da ocorrência de sintomas do Alzheimer em pessoas com baixos níveis de vitamina D no sangue.

Melhora as condições da pele

Devido ao fato da vitamina D influenciar a produção de hormônios no corpo, também pode melhorar determinadas condições de pele, como psoríase, vitiligo e esclerodermia, além de controlar o humor. Em países que têm condições de luz baixa durante alguns meses do ano, o organismo é incapaz de obter a sua quota adequada de vitamina D através da síntese natural. Durante este período, suplementos de vitamina D3 podem ajudar na redução dos sintomas de depressão e transtorno afetivo sazonal.

Efeitos causados pela deficiência de vitamina D

A deficiência de vitamina D no organismo pode ter efeitos adversos sobre a saúde de um indivíduo. Os efeitos em crianças geralmente são indicados pela presença de raquitismo, doença que deforma os ossos e dentes. Em adultos, as deficiências da vitamina D3 são indicadas pela presença de osteomalacia, osteoporose, diabetes tipo 1, dor muscular e óssea e certos tipos de câncer.

Referências:
Buell JS1, Dawson ­Hughes B, Scott TM, Weiner DE, Dallal GE, Qui WQ, Bergethon P, Rosenberg IH, Folstein MF, Patz S, Bhadelia RA, Tucker KL. Low serum vitamin D concentrations in Alzheimer’s disease: a systematic review and meta­ analysis. J Alzheimers Dis. 2013;33(3):659­74. doi: 10.3233/JAD­2012­121432. PMID: 23042216.
Gerry K. Schwalfenberg. Solar Radiation and Vitamin D: Mitigating Environmental Factors in Autoimmune Disease. Journal of Environmental and Public Health. Volume 2012 (2012), Article ID 619381, 9 pages.
Merlino, Linda A., et al. “Vitamin D intake is inversely associated with rheumatoid arthritis: results from the Iowa Women’s Health Study.” Arthritis & Rheumatism 50.1 (2004): 72-77.

Comentários

3 Comentários

  1. Lídia dos santos

    muito bacana saber sobre vitaminas que tomamos para que servem gostei muito parabéns

  2. José Elias

    Boa tarde.

    Fiz um exame de sangue completo e constou que estou com o colesterol elevado, ácido úrico alto, trigliceres alto e falta de vitamina “D”.

    Há algum polivitamínico para todas essas patologias?

    Responda-me por favor.

Comentar