Ômega 3: benefícios, efeitos e propriedades medicinais

O ômega 3 é um ácido graxo poli-insaturado que oferece excelentes benefícios para a função cognitiva e cérebro, reduz o risco de doenças vasculares e até pode auxiliar no combate a alguns tipos de câncer. Também é associado ao bom desenvolvimento do bebê durante a gravidez, saúde mental, humor, perda de peso e tratamento de várias condições de saúde, incluindo dores nas articulações e Mal de Alzheimer, além de beneficiar a saúde geral do corpo. A adição destes ácidos graxos na dieta aumenta a energia, foco mental e vitalidade, além de trazer outros inúmeros benefícios para a saúde.

Fontes naturais de ômega 3 e ômega 6

O ômega 3 é um ácido graxo encontrado predominantemente no óleo de peixes, contudo, alguns vegetais também possuem o nutriente. O óleo da abóbora (Cucurbita pepo) é uma fonte nutritiva de vitaminas e minerais, incluindo ômega 6. A linhaça (Linum usitatissimum), portulaca (Portulaca pilosa), as sementes de chia (Salvia hispanica) e o cártamo (Carthamus tinctorius) possuem boas quantidades de ômega 3-6. Muitos peixes são ricos em ácido graxo, dentre eles, se destacam: cavalinha, arenque, atum-azul, atum-albacora, salmão, sardinha, esturjão, peixe-branco e anchovas.

Os benefícios do ômega 3 para perda de peso

Pesquisadores japoneses descobriram que rico óleo de peixes omega 3 pode reduzir o ganho de peso corporal, aumentando o metabolismo da gordura. Camundongos de laboratório que foram alimentados com uma dieta rica em gordura suplementada com oito por cento de óleo de peixe por cinco meses ganharam menos peso e mais gordura metabolizada do que suas contrapartes que não receberam o suplemento. O grupo suplementado com o ômega-3 apresentou aumento dos níveis de genes relacionados ao metabolismo lipídico, incluindo carnitina, citocromo e enzima málica.

Além disso, a ingestão graxos ômega 3 aumentou a atividade das enzimas relacionadas ao metabolismo, especificamente as enzimas relacionadas com a beta-oxidação de ácidos graxos e málico foi maior na dieta com suplementação em comparação àqueles que receberam apenas a dieta rica em gorduras.

Investigadores australianos relataram que uma combinação de suplementos de óleo de peixe e exercícios físicos conduziu a uma redução da massa gorda em cerca de 1,5 kg, bem como indicou marcadores de melhora na saúde do coração. Os pesquisadores da University of South Australia, em Adelaide, estudaram 75 adultos com sobrepeso e faixa etária entre 25 e 65 anos. Foi relatado que os que receberam suplementação de ômega 3 diariamente (260mg de ácido docosaexaenoico (DHA) e 60mg de ácido eicosapentaenoico (EPA) apresentaram diminuição em cerca de 14 por cento dos níveis de triglicerídios no sangue e aumento de dez por cento dos níveis plasmáticos de colesterol HDL em relação ao montantes iniciais¹.

Benefícios do ômega 3 para a saúde das articulações

O ômega 3 cada vez mais tem sido relatado como um suplemento útil para beneficiar a saúde das articulações e suas propriedades anti-inflamatórias podem ser a razão disto. Um estudo recente mostrou que os ácidos graxos ômega 3 combinados com glucosamina pode ter mais benefícios do que o uso isolado da glucosamina.

Os resultados mostraram que a combinação de sulfato de glucosamina (1.500 mg por dia) e ácidos graxos DHA-EPA, reduziram significativamente a dor, em comparação ao uso isolado da glucosamina. Ambos agiram em sinergia e, ao mesmo tempo que os ácidos graxos inibiram o processo de inflamação na osteoartrite, o sulfato de glucosamina apoiou na reconstrução da substância da cartilagem que havia sido perdida.²

Benefícios para gestantes

O consumo de cápsulas ou os alimentos ricos em ômega 3 durante toda a gestação, em especial no último trimestre, o que irá auxiliar no desenvolvimento cerebral do feto. Outro fator em questão é o aparecimento da depressão, muito presente no período pós-parto. Os sintomas depressivos podem ser reduzidos drasticamente com o consumo contínuo de ômega 3, suplemento natural que pode ser utilizado inclusive no período de amamentação.

Ômega 3 na prevenção do Mal de Alzheimer

Pesquisadores americanos descobriram que um aumento da ingestão do ácido graxo ômega 3 e do ácido docosaexaenoico (DHA) pode impulsionar a produção de uma proteína conhecida por destruir as placas associadas com a doença de Alzheimer. Células de seres humanos foram usados pelos pesquisadores da Universidade da Califórnia, Los Angeles (UCLA) para mostrar que a produção de DHA induzida da proteína LR11 pode reduzir o acúmulo de placas de depósitos de beta-amiloide, que resultam em danos às células do cérebro e ao surgimento do Mal de Alzheimer.

Um novo estudo investigou se o ômega 3 e o DHA podem aumentar os níveis de LR11, vez que altos níveis de proteína LR11 foram relatados para evitar a formação de placa, enquanto os baixos níveis nos pacientes pode ser um fator causador da doença. Os pesquisadores descobriram que mesmo baixas doses de DHA aumentaram os níveis de LR11 em neurônios de ratos. Além disso, o DHA na dieta aumentou os níveis de proteína LR11 em cérebros das cobais mais velhas que foram geneticamente modificadas para desenvolver o Mal de Alzheimer. Os efeitos positivos dos níveis de LR11 e DHA e à proteção contra o Alzheimer também foi encontrada nos testes usando a linha de neurônios humanos. Coincidentemente, as pessoas que se alimentam da dieta do Mediterrâneo (rica em ômega 3), possuem a menor incidência do Mal de Alzheimer.

Referências:
Mori T, Kondo H, Hase T, Tokimitsu I, Murase T Dietary fish oil upregulates intestinal lipid metabolism and reduces body weight gain in C57BL/6J mice. J Nutr. 2007;137:2629-34.
¹ The University of Adelaide
² Effect of glucosamine sulfate with or without fatty acids in patients with osteoarthritis.
³ Can fatty acid slow the progression of Alzheimer’s disease?

Comentários

2 Comentários

  1. Nossa, não sabia que o ômega 3 era tão importante! Gostei muito das informações, já tratei de passar para as amigas! haha’
    ótimo!

Comentar