Óleo de canola: efeitos, estudos e propriedades

O óleo de canola é resultado de um melhoramento genético da colza (Brassica napus), cujo processo reduziu consideravelmente sua toxicidade, tornando-o não prejudicial para o corpo humano. Também conhecido como óleo do Canadá (Canadian oil) e “azeite de baixo teor ácido”, o óleo de canola é regulamentado nos Estados Unidos pelo FDA (Food and Drug Administration).

Efeitos e propriedades do óleo de canola

O óleo de canola é um óleo vegetal recém-comercializado para cozinhar e usar em saladas. Contém 55% do ácido graxo monoinsaturado; ácido oleico, 25% de ácido linoleico e 10% de alfa-linolenato, conhecido como um ácido graxo poliinsaturado (PUFA). Apenas 4% dos ácidos graxos saturados (SFAs) que foram implicados como fatores na hipercolesterolemia. Como a maioria dos óleos altamente refinados, o óleo de canola é pobre em nutrientes essenciais. O óleo de canola possui dois ácidos graxos importantes: o ácido alfa linolênico (ALA) e o ácido linoleico.

O ácido alfa linolênico é um dos mais importantes ácidos ômega-3 e possui a capacidade de se converter em outros dois importantes ácidos graxos ômega-3: o ácido eicosapentaenoico (EPA) e o ácido docosaexaenoico (DHA). O ácido linoleico (ácido graxo ômega-6) é útil para o tratamento de diversas condições de saúde, incluindo diabetes. Ainda sobre a composição, contém um pouco das vitaminas lipossolúveis E e K, além de cerca de 7% de gorduras saturadas, 63% de gorduras monoinsaturadas e 28% de gorduras poli-insaturadas (aproximadamente 18% de ômega-6 e 10% de ômega-3).

Redução do colesterol

Estudos concluíram que óleo de canola reduz os níveis de colesterol total, colesterol ruim e triglicéridos em até 25%, sem ter muito efeito sobre os níveis de colesterol bom. O óleo de canola funciona melhor quando combinado a algum suplemento de óleo de peixe, que não precisa converter o ALA em EPA e DHA. No caso de pessoas com saúde mais debilitada ou muito idosas, suplementos de ômega-3 à base de óleo de peixe puro podem ser mais recomendado.

Um estudo realizado em 2013 e publicado na revista Nutrition Reviews demonstrou que as dietas à base de óleo de canola reduzem os níveis de colesterol plasmático em comparação com dietas contendo níveis mais elevados de ácidos graxos saturados. O consumo de óleo de canola também influencia as funções biológicas que afetam vários outros biomarcadores de risco de doenças. Revisões anteriores se concentraram nos efeitos para a saúde de componentes individuais do óleo de canola, ao contrário do estudo, que utilizou o óleo intacto, tendo assim implicações práticas imediatas para consumidores e nutricionistas.

Uma pesquisa bibliográfica foi realizada para examinar os efeitos do consumo de óleo de canola no crescimento de células cancerosas, doença cardíaca coronária, inflamação, metabolismo energético, peroxidação lipídica e sensibilidade à insulina. Segundo os pesquisadores, Os dados revelaram reduções substanciais no colesterol total e no colesterol da lipoproteína de baixa densidade, bem como em outras ações positivas, incluindo o aumento dos níveis de tocoferol e melhora na sensibilidade à insulina, comparado com o consumo de outras fontes de gordura na dieta. Em resumo, evidências científicas crescentes apoiam o uso do óleo de canola, além de suas ações benéficas sobre os níveis lipídicos circulantes, como um componente promotor da saúde da dieta.

Crajiru (Pariri) Crajiru (Pariri) O chá de pariri é um poderoso chá para o tratamento do câncer.
Antidiabéticos Insulinas VegetaisAntidiabéticos que agem como hipoglicemiantes e insulinas vegetais
Tônicos Emagrecedores Suplementos naturais para inibir o apetite e queimar gorduras
Anti-Inflamatórios Naturais Anti-Inflamatórios Naturais Suplementos eficazes para aliviar e curar inflamações nos tecidos.
Libiforce Libiforce Man Estimulante sexual masculino sem contraindicações. Fórmula exclusiva.

Diferenças entre canola e colza

Colza
A colza possui ácido erúcico, apontada como uma substância potencialmente tóxica.

A colza (Brassica napus) possui ácido erúcico, apontada como uma substância potencialmente tóxica capaz de causar lesões no coração. O óleo de canola foi criado na década de 1980, quando pesquisadores canadenses manipularam a colza para criar uma variedade da planta que produz índices muito baixos de ácido erúcico. Foi chamada de óleo LEAR (Low Erucic Acid Rapeseed), um acrônimo para óleo de semente de colza com baixo teor de ácido erúcico, um ácido graxo suspeito de ter potencial patogênico em estudos experimentais em animais.

A canola é o óleo alimentar mais amplamente consumido no Canadá e foi aprovado para o status GRAS (Generally Recognized as Safe – Reconhecido como Seguro) pela Food and Drug Administration (FDA) do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos. Apesar de ser considerado seguro, o método de processamento do óleo comercial envolve prensagem, aquecimento e adição de produtos químicos e solventes industriais, o que pode não ser considerado saudável por muitos especialistas. Algumas marcas mais saudáveis optam por prensar o óleo a frio. Tal método rende menos, e portanto, tornam o produto mais caro, contudo, é um tipo de processamento mais bem aceito.

ALOE VERA (BABOSA) ORGÂNICA LIOFILIZADA Aloe vera Orgânica em Cápsulas
CÁLCULOS RENAIS, INFECÇÕES URINÁRIAS ETC. Diu Renal
PREVINE RUGAS / PROMOVE A SAÚDE DA PELE Colágeno Hidrolisado com Vitamina C
SUPLEMENTO PARA CONTROLAR O ESTRESSE Mild Mag
PRISÃO DE VENTRE / ESTIMULAR GASES Composto Laxante 500mg
Referências:
Canola Oil: Good or Bad?. By Kris Gunnars, BSc. March, 2014 Authority Nutrition.
High-oleic rapeseed (canola) and flaxseed oils modulate serum lipids and inflammatory biomarkers in hypercholesterolaemic subjects. Department of Human Nutritional Sciences, Richardson Centre for Functional Foods and Nutraceuticals, 196 Innovation Drive, University of Manitoba, Winnipeg, MB, Canada R3T 6C5.
Dupont, J., White, P. J., Johnston, K. M., Heggtveit, H. A., McDonald, B. E., Grundy, S. M., & Bonanome, A. (1989). Food safety and health effects of canola oil. Journal of the American College of Nutrition, 8(5), 360-375.
Lin, L., Allemekinders, H., Dansby, A., Campbell, L., Durance-Tod, S., Berger, A., & Jones, P. J. (2013). Evidence of health benefits of canola oil. Nutrition reviews, 71(6), 370-385.
6 Reasons Why Vegetable Oils Can be Harmful. Health Line.
Serum lipid and apolipoprotein concentrations in healthy men on diets enriched in either canola oil or safflower oil. G M Wardlaw, J T Snook, M C Lin, M A Puangco, and J S Kwon. Division of Medical Dietetics, Ohio State University, Columbus 43210.

Comentários

7 Comentários

  1. Artur Mendonca

    Meus amigos ja passamos à muito tempo da era da escuridão,o oleo Canola è o pior oleo que pode existir no planeta o mais letal e cancerisno para o corpo humano. Nao consumam,nem toquem nesse produto,fiquem longe. Porfavor amigos leiam os artigos na net publicacões sobre esse maldito oleo e entendão de vez. Saude a todos.

  2. claudomir sebastião da silva

    Sinceramente,gostaria que ao explicarem sobre o benefício ou não do consumo de óleo de canola,fossem mais conclusivos.Não podemos,ficar em cima do muro ou com dúvidas se devemos ou não consumir tal óleo.O que pude perceber,é que existem uma corrente que endeusa a canola e outra que amaldiçoa, então,como consumidor do tal óleo,fico sem a efetiva comprovação do benefício ou não do mesmo.

  3. muy bueno el promraga gracias por darnos informacion confiable, es bueno ver que hay personas que se preocupan por la distribucion de la verdad y el progreso de la ciencia.

  4. stephanie hannud

    Amei o conteúdo do site ! por favor, gostaria de saber a fonte da matéria, é de algum artigo científico ou pesquisa !?

    Muito obrigada
    Aguardo o retorno,
    att,
    Stephanie Hannud

    Réplica: Todo o conteúdo do site é original, obtido principalmente através de ensaios clínicos e pesquisas, além de referências bibliográficas com certo grau de credibilidade e imparcialidade. O compromisso do site Plantas Medicinais e Fitoterapia é proporcionar aos leitores um conteúdo em língua portuguesa de qualidade sem estimular a automedicação. Para manter a imparcialidade das informações transmitidas, não comercializamos nenhum tipo de planta medicinal, fitoterápico ou itens relacionados. Obrigado pelo prestígio e volte sempre.

  5. Luiz Inglês

    Tenho lido artigos que dão conta do alimento não saudável que é o óleo de canola. Além de ser trangênico, causa dversos problemas ao organismo humano e tem a Monsanto (de péssima conduta ética). Bsta entrar no Google e ler.

  6. Canola é um oleo extraído de uma planta chamada “Colza” produzida pela Monsanto, empresa canadense de transgênicos, ou seja, canola não é oleo natural é fabricado em laboratório, é transgênico.

    Não sei porque falaram tão bem do tal oleo.

    É a tal coisa, o homem faz tudo para “aperfeiçoar”, “melhorar o que Deus fez”. Será que as coisas já não eram perfeitas antes de pisarmos em solo fértil?!

    Réplica – Como foi explicado no artigo, o óleo de Colza foi “aperfeiçoado” para minimizar os seus efeitos colaterais. Existem inúmeras plantas medicinais que trazem benefícios enormes para a saúde, mas em compensação “carregam” junto efeitos colaterais. Isolar substâncias ou extrato é uma prática comum na Fitoterapia, que tem como objetivo potencializar os efeitos medicinais de determinado planta. Quanto a discussão sobre os benefícios e malefícios dos transgênicos, não cane a nós julgarmos ou não, mas sim prover informação de qualidade aos nossos leitores, baseados em fatos e pesquisas científicas e desprovidos de qualquer influência pessoal, ideológica ou religiosa. Att. Equipe Plantas Medicinais e Fitoterapia.

  7. EXISTE DIFERENÇA ENTRE ÓLEO E AZEITE OU SÃO A MESMA COISA O AZEITE DE SUPERMERCADO INDUSTRIAL TAMBÉM PODE NOS TRAZER BENEFÍCIOS OU O É IGUALMENTE COMPARADO COM AZEITE DE SOJA POR EXEMPLO.

Comentar