Raiz-forte: benefícios e propriedades medicinais

A raiz-forte (Armoracia rusticana) é uma planta medicinal também conhecida como mostarda-alemã, rabanete-montês, rabanete-bastardo, rabanete-picante, rabanete-rústico, rabanete-silvestre, rábano-de-cavalo, rabão-silvestre, rabão-rústico, rabiça-brava, rabo-de-cavalo, saramago-maior e horseradish (inglês). Pertence à família Brassicaceae.

Benefícios da raiz-forte

Suplementos para Reumatismo

A raiz-forte é usada como um condimento que melhora a congestão e ajuda na digestão de comidas gordurosas. Na medicina alternativa, a erva de banho é usada para reumatismo. O suco é acrescentado a óleos de massagem para tratamento de dores musculares e congestão no tórax. É possível ainda fazer sucos e óleos de massagem para tratamentos de dores e congestão no tórax com essa raiz, além de poder ser aplicada nas sardas para diminuir a incidência das mesmas. Usada em cataplasmas para tratamento de gota e juntas reumáticas.

A raiz-forte possui uma longa história em medicina popular e pode ajudar a prevenir e tratar uma série de doenças comuns. É um vegetal cruciferante, conhecido por seus compostos vegetais chamados glucosinolatos. Devido a estes compostos, ela pode ajudar a prevenir o câncer, combater doenças e proporcionar uma mistura saudável de vitaminas e minerais para ajudar a complementar uma dieta saudável.

Outros usos tradicionais da Armoracia spp vão desde catarro, asma, bronquite, congestão, colite, febre e gripe, até infecções urinárias, indigestão, reumatismo, tosse, verme e edema. Uma colher de sopa de raiz-forte preparada contém cerca de 3,7 miligramas de vitamina C – cerca de 6% das necessidades diárias. Também contém 8,5 microgramas de folato (derivado da vitamina B9).

Uma colher de sopa de raiz-forte preparada contém cerca de 7,2 calorias totais e apenas cerca de 0,1 gramas de gordura total, além de ser isenta de gordura saturada e colesterol. Há em torno de 1,7 gramas de carboidratos na raiz, com 0,5 gramas de fibra dietética total, ou aproximadamente 2% da ingestão diária recomendada de fibra. Contém 1,2 gramas de açúcares totais, cerca de 2,4 por cento da recomendação de ingestão de açúcar.

Uso na culinária

A raiz-forte pertence à família das Brassicaceae, o que significa que está intimamente relacionado com o wasabi, mostarda, repolho e brócolis. Quando sua raiz branca e grossa é cortada, a degradação dessas células das plantas liberta enzimas que quebram a sinigrina encontrada na raiz. Isso libera óleo de mostarda, que é um químico pungente e irritante que afeta os seios e os olhos daqueles que o cheiram.

É por isso que a raiz-forte é tão popularmente usado como uma explosão de sabor picante em vários pratos ou um condimento ligeiramente aplicado a certos tipos de bife. Ela é usada principalmente em práticas culinárias e também possui aplicações medicinais e alguns desses benefícios para a saúde estão exortando mais pessoas a consumi-lo em todo o mundo.

A planta é usada na Páscoa da tradição judia. Também é acrescentada a molhos comuns, maionese, molhos, queijos, ensopados e salada de repolho cru. É um condimento para rosbife. Usada fresca, sem necessidade de cozimento. As folhas jovens são comidas em saladas.

Contraindicações e efeitos colaterais da raiz-forte

A raiz-forte é facilmente segura quando tomada por via oral em quantidades de alimentos, e também segura para a maioria das pessoas quando tomado por via oral em quantidades medicinais. Contudo, ela contém óleo de mostarda, que é extremamente irritante para o revestimento da boca, garganta, nariz, sistema digestivo e trato urinário.

Assim, pode causar alguns efeitos colaterais, incluindo distúrbios do estômago, vômitos sangrentos e diarreia. Também pode diminuir a atividade da glândula tireóidea. Como qualquer outro tratamento medicinal, é aconselhável a recomendação médica ou de um especialista antes de começar a inserir a erva na dieta.

História e curiosidades

A raiz-forte é nativa do sul da Europa e oeste da Ásia, onde foi referenciada ao longo da história. O poder e a importância desta raiz são conhecidos há milhares de anos e agora estão disponíveis em todo o mundo.

Referências:
Park, II‐Kwon, et al. “Fumigant activity of plant essential oils and components from horseradish (Armoracia rusticana), anise (Pimpinella anisum) and garlic (Allium sativum) oils against Lycoriella ingenua (Diptera: Sciaridae).” Pest management science 62.8 (2006): 723-728.
Li, Xian, and Mosbah M. Kushad. “Purification and characterization of myrosinase from horseradish (Armoracia rusticana) roots.” Plant Physiology and Biochemistry 43.6 (2005): 503-511.

Comentários

2 Comentários

  1. Leonira P. de Alencastro

    O mais comun de se achar é o pó de raiz forte, o que nunca vem com receita. Tenho como sugestão, incluir no texto, uma receita fácil, a se fazer com a mistura em pó. Obviamente que seria interessante outras receitas… A exemplo, eu desconhecia o fato de suas folhas servirem de salada e fiquei bastante curiosa, uma vez que adoro raiz forte. Obrigada pela atenção…

    Leonira.

  2. André Moura

    Gostaria de ter muda , da erva raiz forte, se for possivel me informar, ficarei feliz. Desde já aceite meus agradecimentos.

Comentar