Chlorella vulgaris (CLORELA)

CHLORELLA VULGARIS

Nomes populares

Chlorella, clorela, clorella.

Família

Chlorellaceae

Partes usadas

Alga.

Usos tradicionais

Câncer, colesterol alto, fibromialgia, hipertensão, intoxicação por metais pesados.

Propriedades medicinais da Chlorella vulgaris

Antibacteriano (impede ou inibe o desenvolvimento de bactérias)
Anticancerígeno (previne ou combate ao câncer)
Antioxidante (inibe os efeitos da oxidação e combate os radicais livres)
Antitumoral (previne ou inibe a formação e crescimento de tumores)
Antiviral (combate os vírus, atuando no tratamento de doenças causadas por eles)
Imunoestimulante (estimula ou reforça o sistema imunológico ou reações imunológicas)
Tônico Hepático (combate as deficiências que atrapalham o bom funcionamento do fígado e as doenças relacionadas)
Tônico Renal (estimula os rins a eliminar as toxinas do sangue)

Preparações

Cápsulas, comprimidos, líquido, pó, softgel.

Contraindicações e efeitos colaterais

Embora seja considerado seguro, deve-se ter um certo cuidado com relação à Chlorella vulgaris no que diz respeito aos níveis moderados de iodo nela encontrada, especialmente em pessoas que tenham problemas da tireoide ou mesmo pessoas que tenham alergia a iodo. Há dúvidas quanto à segurança do uso durante o período da gravidez. Sendo assim, grávidas e lactantes devem primeiramente conversar com seus médicos e avaliar se esses suplementos são ou não seguros e benéficos. Pessoas com problemas de coagulação devem prestar atenção ao uso da Chlorella vulgaris, vez que ela contém alto teor de vitamina K, nutriente que promove o aumento da coagulação.

Fitoquímicos

A clorela contém altos níveis de betacaroteno, clorofila, ferro, proteína, vitaminas C e B-12, além de 19 aminoácidos.

Curiosidades

– A capacidade de clorela para combater as células cancerígenas tem sido demonstrada em vários estudos científicos. Vários cientistas acreditam que Chlorella vulgaris estimula a atividade das células T, componentes importantes do sistema imunológico, além dos macrófagos, células que protegem contra infecções, removendo produtos residuais, microorganismos nocivos e outras toxinas da corrente sanguínea. Ao aumentar a produção de células T e macrófagos, o organismo aumenta os níveis de interferon, melhorando assim, a capacidade do sistema imunológico de combater substâncias invasoras, tais como bactérias, vírus e produtos químicos.

Saiba mais

Chlorella: benefícios e propriedades medicinais

Referências:
Herbs ZP.
Williams, Christine A., Fiona Goldstone, and Jenny Greenham. “Flavonoids, cinnamic acids and coumarins from the different tissues and medicinal preparations of Taraxacum officinale.” Phytochemistry 42.1 (1996): 121-127.
Mir, M. Amin, S. S. Sawhney, and M. M. S. Jassal. “Qualitative and quantitative analysis of phytochemicals of Taraxacum officinale.” Wudpecker Journal of Pharmacy and Pharmocology 2.1 (2013): 001-005.
Jeon, Hye-Jin, et al. “Anti-inflammatory activity of Taraxacum officinale.” Journal of ethnopharmacology 115.1 (2008): 82-88.
Duke, James A. The green pharmacy: New discoveries in herbal remedies for common diseases and conditions from the world’s foremost authority on healing herbs. Rodale, 1997.

Comentários

Comentar