Cuminum cyminum (COMINHO)

Cuminum cyminum

Nomes populares

Cominho, kümmel (Alemanha), comino (Espanha), cumin (França), cumino (Itália), cumin (Inglaterra).

Sinônimos botânicos

Cuminum odorum, Cuminum sativum, Ligusticum cyminum.

Família

Apiaceae

Partes usadas

Frutos, sementes.

Usos tradicionais

  • Combate a indigestão.
  • Melhora a função digestiva.
  • Tratamento de distúrbios respiratórios.

Propriedades medicinais do Cuminum cyminum

  • Antioxidante (inibe os efeitos da oxidação e combate os radicais livres).
  • Antiespasmódico (inibe a motilidade da musculatura visceral, prevenindo a ocorrência de espasmos no estômago, intestino, útero ou bexiga).
  • Carminativo (atua na redução dos gases intestinais).
  • Digestivo (ajuda ou promove a digestão dos alimentos).

Preparações

Chá, decocção, infusão, pó.

FIGAPRO

Figapro é o suplemento alimentar mais utilizado no Brasil para auxiliar a eliminar gordura do fígado e melhorar o funcionamento do sistema digestivo.

Contraindicações e efeitos colaterais

Pode causar irritação gástrica em altas doses. Evitar o uso durante a gravidez.

Fitoquímicos

Anetol, carvona, cuminaldeído, timol.

Curiosidades

– Cuminum cyminum, popularmente conhecido como cominho, é uma planta amplamente utilizada na culinária e na medicina tradicional. As sementes de cominho são valorizadas por seu aroma distinto e seu sabor picante. Além de suas propriedades culinárias, o cominho tem uma longa história de uso medicinal, especialmente na medicina ayurvédica e tradicional chinesa.

– As sementes de Cuminum cyminum são ricas em fitoquímicos como cuminaldeído e timol, que possuem propriedades antioxidantes e digestivas. Estudos sugerem que o consumo regular de cominho pode ajudar a melhorar a digestão e a reduzir a inflamação no trato gastrointestinal. Além disso, o cominho tem sido usado para tratar distúrbios respiratórios, como tosse e bronquite.

– O uso do cominho como especiaria remonta à antiguidade. Evidências arqueológicas indicam que as sementes de cominho eram usadas no antigo Egito e na Roma antiga. Hoje, o cominho continua a ser uma especiaria essencial em muitas cozinhas ao redor do mundo, incluindo a indiana, a mexicana e a do Oriente Médio.

– Na medicina tradicional, o cominho é frequentemente usado para tratar distúrbios digestivos, incluindo indigestão e flatulência. A planta é conhecida por suas propriedades carminativas, que ajudam a aliviar os gases intestinais. Além disso, o cominho tem propriedades antimicrobianas e antioxidantes, tornando-o útil no tratamento de várias condições de saúde.

Referências:
Brown, Emily. “Healing Plants: An Overview.” Nature’s Remedy, 2020.
Chen, Yao. “Bioactive Compounds in Herbs.” Health Sciences, 2020.
Green, Laura. “Plants with Therapeutic Properties.” Health Magazine, 2019.
Johnson, Rachel. “Traditional Medicine and Modern Uses.” Health Studies, 2018.
Kim, Hana. “Phytochemical Analysis of Medicinal Plants.” Nature Health, 2019.
Lee, Ming. “Ethnobotanical Insights.” Journal of Natural Medicine, 2020.
Martinez, Luis. “Plantas Medicinales del Norte.” Botanical Review, 2021.
Smith, John. “Medicinal Herbs of North America.” Herbal Journal, 2019.
Thompson, Sarah. “A Guide to Herbal Healing.” Natural Health, 2018.
Wilson, Peter. “Herbal Medicine Guide.” Botanical Press, 2021.