Triphala: estômago e intestino saudáveis

Triphala

Benefícios, efeitos e propriedades da Triphala, tônico estomacal e intestinal da medicina tradicional indiana, composto de amla (amalaki), bibhitaki e haritaki.

Atualizado em 16/10/2022

A Triphala é uma antiga mistura de ervas e um dos remédios herbais mais comumente usados no sistema de cura da medicina ayurvédica. Conhecido também por “néctar da vida”, além da triphala ser um renomado tônico estomacal e intestinal, também pode ser útil para auxiliar no tratamento de vários transtornos de saúde, especialmente os relacionados ao sistema digestivo.

O que é a triphala?

A medicina aiurvédica é originária da antiga Índia e se desenvolveu ao longo de milhares de anos, sendo um dos sistemas mais antigos de cura. Desta forma, atriphala é um dos mais antigos remédios herbais usados no mundo. Triphala, que significa “três frutas”, é feito dos frutos de três árvores que crescem ao longo da Índia e Oriente Médio, incluindo as frutas amla (Phyllantus emblica), bibhitaki (Terminalia belerica), e haritaki (Terminalia chebula). Na preparação da triphala, todas as frutas são secas, moídas e transformadas em pó, para depois sem misturadas juntas, de acordo com a tradição aiurvédica.

O amalaki, também chamado de amla ou groselha indiana, é conhecido como uma das melhores ervas rejuvenescedores na medicina ayurvédica. O fruto contém mais vitamina C do que quase todas as outras frutas, consistindo em quase 3.000 mg de vitamina C por unidade. Foi apelidada de “erva enfermeira” na Índia, por causa de sua ampla eficácia contra a doenças.

O haritaki também é considerado uma das mais uteis das ervas ayurvédicas, particularmente por seus efeitos de aquecimento, balanceamento e rejuvenescimento. Combinado com fruta bibhitaki, outro tonificante, acredita-se que esses três compostos têm efeitos de cura e balanceamento em todos os três principais tipos ou constituições corporais (denominados doshas) na medicina ayurvédica.

Como uma fórmula equilibrada, a triphala pode ser efetivamente usada pela maioria das pessoas e é prescrito para uma variedade de condições de saúde.

Benefícios da triphala

Amalaki (groselha-indiana) - Phyllanthus emblica

Amalaki (groselha-indiana) – Phyllanthus emblica

O amalaki é o principal ingrediente dessa mistura de ervas. Rica em vitamina C, fortalece o sistema imunológico, e funciona como um desintoxicante. Além disso, aumenta a absorção de ferro no sangue, fortalece o sistema reprodutivo e ajuda na regulação dos ciclos menstruais.

O haritaki fortalece os músculos oculares e previne de doenças na visão. Possui propriedades antienvelhecimento e beneficia a pele. A bibhitaki, também chamada de baheda, é um potente desintoxicante do organismo, purificador do sangue e previne o corpo de vírus e bactérias. Indicado também para quem deseja emagrecer, visto que ele remove o excesso de gordura.

O composto possui um efeito calmante e tônico sobre o sistema nervoso, e é recomendado para a doença de Alzheimer e outros distúrbios degenerativos do sistema nervoso. Outro uso para o triphala é fortalecer os olhos, particularmente em casos de catarata, conjuntivite e glaucoma. Pode ser usado como colírio e pode reduzir a dor e vermelhidão nos olhos. Também ser aplicado topicamente na pele, para acelerar a cura de contusões e queimaduras solares.

A triphala remove células mortas e rejuvenesce as células da pele, além de ajudar a corrigir numerosas doenças como cicatrizes, erupções cutâneas ou queimaduras solares. As ervas da triphala possuem propriedades anti-inflamatórias e o remédio é prescrito para a gota, uma forma de artrite causada pelo excesso de ácido úrico no corpo e outras condições inflamatórias.

Melhora a função do estômago e saúde do intestino

A Triphala é ingerida como um tônico geral de saúde, útil para todos os tipos de pessoas e uma variedade de condições. O composto é comumente prescrito para tonificar e fortalecer o sistema digestivo. Particularmente em casos de má digestão e constipação, ajuda na assimilação dos alimentos e tem um efeito laxante suave.

A triphala é um laxante suave que pode ser usado diariamente e não tem efeitos adversos sobre a flora intestinal (os microrganismos que auxiliam a digestão). Também é conhecido como um dos melhores produtos naturais de limpeza do cólon.

Especialistas dizem que a triphala é eficaz na melhora da função do estômago e intestinos, e também é prescrito para casos de excesso de ácido estomacal. O composto regula e desintoxica as entranhas, melhora a saúde geral, aumentando a eficiência da digestão e absorção de alimentos e redução dos gases intestinais.

Esse composto promove equilíbrio no metabolismo do corpo, sendo prescrito para restaurar o apetite. Também ajuda o corpo a eliminar o excesso de gordura, melhorando o metabolismo. Por causa de suas propriedades suaves, a triphala é recomendada como uma ajuda digestiva para os idosos e para aqueles com estômagos sensíveis.

FIGAPRO

Figapro é o suplemento alimentar mais utilizado no Brasil para auxiliar a eliminar gordura do fígado e melhorar o funcionamento do sistema digestivo.

Purificador do sangue

Além de restaurar o equilíbrio do sistema digestivo, triphala é usado como um construtor de sangue e purificador, e pode aumentar a contagem de glóbulos vermelhos e níveis de hemoglobina. Alguns curandeiros prescrevem para diabetes, por seu efeito de equilíbrio nos níveis de açúcar no sangue. Ele também tem propriedades que controlam os níveis de colesterol ruim e previnem a formação de muco no corpo. Além disso, ela é indicado para fortalecer o fígado e os rins, sendo indicada para quem sofre de hepatite.

Rica em vitamina C

A triphala é uma rica fonte de vitamina C e por esse motivo melhora a função do sistema imunológico. A vitamina C presente ajuda a manter uma boa saúde reprodutiva tanto em homem quanto em mulher. O amalaki, contido no composto, possui mais vitamina C do que quase todas as outras frutas, consistindo em quase 3.000 mg de vitamina C por unidade.

Como encontrar a triphala?

A triphala está disponível em pó e em cápsulas e pode ser ingerida diariamente. Para quem não gosta muito de forte sabores amargos, comprimidos ou cápsulas são mais recomendados. Como um tônico digestivo e laxante, é melhor tomar à noite, cerca de duas horas depois de comer, e pelo menos 30 minutos antes de deitar. Alimentos não devem ser ingeridos por uma hora e meia depois da ingestão. As cápsulas e comprimidos podem ser engolidos, enquanto o pó deve ser misturado completamente em uma pequena quantidade de água fria ou morna ou fervido em água e bebido como chá medicinal.

Dosagem

O consumo de triphala deve começar com pequenas quantidades, um quarto de colher de chá do pó ou um tablet e, gradualmente aumentar a dose até encontrar a dosagem ideal. Não mais do que uma colher de chá do pó ou quatro a seis comprimidos ou cápsulas devem ser tomadas por dia. A dose deve ser reduzida em casos de indisposição estomacal ou diarreia. Como a triphala não é viciante, pode ser tomado por longos períodos de tempo. Recomenda-se que a cada dez semanas, os usuários parem de tomar o composto à base de plantas por duas a três semanas, para dar um descanso ao corpo e manter a eficácia do remédio.

Quando usado como um colírio, uma colher de chá de pó de triphala pode ser adicionado a uma xícara de água fervida e água resfriada. Os sólidos devem ser removidos através de uma peneira ou de um pano denso. O colírio pode ser aplicado aos olhos três vezes por dia. Para aplicação tópica à pele, o pó pode ser misturado com uma pequena quantidade de água para fazer uma pasta facilmente aplicada.

Contraindicações e efeitos colaterais da triphala

A triphala não é recomendado durante a gravidez e não deve ser usado em casos de diarreia e disenteria. O uso de pode aumentar os gases intestinais, um possível efeito do subproduto da limpeza e desintoxicação no trato digestivo. Sintomas de diarreia ou fezes soltas ou diarreia podem indicar uma dosagem muito alta e a quantidade ingerida deverá ser reduzida. Não há interações conhecidas com este composto herbário.

Referências:
VANI, T. et al. Antioxidant properties of the ayurvedic formulation triphala and its constituents. International Journal of Pharmacognosy, v. 35, n. 5, p. 313-317, 1997.
Naik, G. H., et al. “In vitro antioxidant studies and free radical reactions of triphala, an ayurvedic formulation and its constituents.” Phytotherapy Research: An International Journal Devoted to Pharmacological and Toxicological Evaluation of Natural Product Derivatives 19.7 (2005): 582-586.
Baliga, Manjeshwar Shrinath. “Triphala, Ayurvedic formulation for treating and preventing cancer: a review.” The Journal of Alternative and Complementary Medicine 16.12 (2010): 1301-1308.