Ação da amigdalina e vitamina B17 (laetrile) contra o câncer

Vitamina B17 - Laetrile - Amigdalina

Conheça os benefícios, efeitos colaterais, estudos, indicações e propriedades medicinais da amigdalina e vitamina B17 (laetrile) no combate ao câncer.

Atualizado em 23/09/2022

A vitamina B17, ou laetrile, é derivada da amigdalina (amigdalin), uma substância vegetal encontrada naturalmente em castanhas e sementes de diversas frutas, especialmente no damasco, pêssego e em grãos, incluindo o feijão e o sorgo.

Amigdalina e vitamina B17 (laetrile)

Não existem provas concretas que sustentam que a vitamina B17 é capaz de tratar o câncer ou alguma outra doença com efetividade, entretanto, diversos estudos e tratamentos alternativos vem sendo realizados. O primeiro uso da laetrile em um tratamento contra o câncer foi realizado em 1845 na Rússia. Já nos Estados Unidos, a laetrile foi utilizada pela primeiro vez em 1920. A vitamina B também serve para melhorar a saúde em geral, aumentar os níveis de energia e bem-estar e desintoxicar e limpar o organismo.

Um outro estudo animal afirmou que amigdalina desacelerou o crescimento do câncer em animais e ajudou tumores a parar de se espalhar para os pulmões. Entretanto, repetidos estudos não conseguiram mostrar resultados semelhantes, de modo que o tratamento ainda não pôde ser aprovado. Alguns pacientes recorrem ao tratamento com a laetrile quando não há nenhum sinal de regressão do câncer por meio dos tratamentos convencionais.

Amigdalina

A amigdalina, o ingrediente ativo do laetrile, demonstrou atividade anticâncer em dois estudos de laboratório patrocinado pelo Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos (NCI) no final dos anos 1980, quando administrada com enzimas específicas denominadas glicosídeos. Isto é, as enzimas glicosídicas liberaram cianeto de amigdalina, que matou as células de cancro cultivadas em laboratório. Contudo, o corpo do cianeto também danificou as células saudáveis.

Modo de uso da laetrile

A vitamina B-17 pode ser utilizada por meio de injeção, na forma de comprimidos, loções para a pele ou como um líquido para inserir no reto. Ela é composta de duas moléculas de açúcar: uma de ácido cianídrico e outra de benzaldeído. As bactérias digestivas, bem como as enzimas dos alimentos consumidos, quebram o laetrile e liberam cianeto.

Possíveis efeitos colaterais da vitamina B17

Estima-se que a ingestão de aproximadamente 50 a 60 ou de sementes de damasco, que correspondem a 50 gramas de laetrile, é o suficiente para causar a morte. Em forma forma de comprimidos, é muito importante evitar a ingestão de outros alimentos que contenham amigdalina. Existem vários alimentos compostos de vitamina B17, tais como:

  • Aipo
  • Amêndoas cruas;
  • Brotos de feijão;
  • Cenouras;
  • Damasco;
  • Feijão;
  • Nozes;
  • Pêssego;
  • Semente de linhaça;
  • Vitamina C (doses altas).;

No tratamento com laetrile, são necessárias injeções diárias na veia durante 02 ou 03 semanas, seguido de comprimidos de comprimidos da substância, que contém, um tipo de veneno. Desta forma, dentre os efeitos colaterais que podem ocorrer incluem:

  • Confusão mental, estado de coma e, eventualmente, morte;
  • Danos ao fígado;
  • Dano nos nervos, perda de equilíbrio e dificuldades de locomoção;
  • Dores de cabeça;
  • Falta de oxigenação para os tecidos do corpo;
  • Febre;
  • Tonturas;
  • Queda na pressão sanguínea;
  • Tonturas.

Também é muito importante para qualquer pessoa com problemas hepáticos saber que a vitamina B17 podem causar ainda mais danos ao fígado. Os comprimidos de Vitamina B17 são mais concentrados do que o uso da injeção. Devido à falta de evidências científicas sobre a efetividade da laetrina e em decorrência dos graves efeitos colaterais que ela causa, a venda e o uso da laetrile não é autorizada pela União Europeia (UE) e pela FDA nos Estados Unidos (Food and Drug Administration).

Referências
Cancer Research UK
National Cancer Institute. Cancer.gov
Moertel, Charles G., et al. “A clinical trial of amygdalin (Laetrile) in the treatment of human cancer.” New England Journal of Medicine 306.4 (1982): 201-206.
Milazzo, Stefania, Stephane Lejeune, and Edzard Ernst. “Laetrile for cancer: a systematic review of the clinical evidence.” Supportive care in cancer 15.6 (2007): 583-595.
Milazzo, Stefania, et al. “Laetrile treatment for cancer.” Cochrane Database of Systematic Reviews 2 (2006).