Guggul: saiba para que serve a planta

Guggul - Commiphora wightii

Conheça os benefícios, efeitos colaterais e propriedades medicinais do guggul (Commiphora mukul / Commiphora wightii), planta eficaz em reduzir o colesterol.

Atualizado em 18/09/2022

O guggul (Commiphora wightii) é uma planta medicinal também conhecida como bedellium-indiano, goma-guggul, guggulu, gugulipid, indian bdellium (inglês), dentre outros nomes populares. Inclui o sinônimo botânico Commiphora mukul. A Commiphora é nativa da Índia e Paquistão.

Benefícios do guggul para a saúde do coração

O guggul é eficaz em reduzir o colesterol alto, vez que é capaz de reduzir a quantidade de lipoproteínas de baixa densidade (LDL) ao mesmo tempo que aumenta a quantidade de lipoproteínas de alta densidade (HDL). Além disso, previne o acúmulo de gorduras nas plaquetas sanguíneas. O guggul age convertendo o colesterol em ácidos biliares, fator que aumenta a excreção do colesterol pelo organismo. Estudos científicos observaram redução de cerca de 20% nos níveis de colesterol e triglicerídeos no organismo de pessoas que iniciaram o uso do guggul.

O guggul apresenta ótimos resultados em relação ao sistema cardiovascular, podendo ter aplicações como hipotensivo. As propriedades antioxidantes auxiliam na prevenção de danos ocasionados pela exposição à agentes cancerígenos, chegando a reduzir a incidência de alguns tipos de câncer. O extrato da resina do guggul é usado há mais de dois milênios na medicina ayurvédica para o tratamentos de aterosclerose, diabetes, hiperlipidemia (condição em que há altos níveis de partículas de gordura – lipídios – no sangue) e osteoartrite.

Outros benefícios e propriedades

Outras propriedades do guggul incluem seus efeitos adstringentes, analgésicos, antiespasmódicos, antissépticos, expectorantes, estimulantes e rejuvenescedores. O consumo regular de guggul é um supressor da síntese de marcadores inflamatórios e minimiza a os sintomas de inflamações. Dessa forma, facilita e potencializa o funcionamento do sistema imune, garantindo proteção e resistência contra diversas doenças. O guggul reduz o edema do extrato aquoso, sendo benéfico para pacientes com artrite reumatoide. A resina também age como analgésico e relaxante muscular.

O guggul contribui para o funcionamento da glândula tiroide e ajuda na assimilação de iodo por todo o corpo humano. Desta forma, pode estimular a perda de peso. Estimula a produção de células de brancas, possui efeito antisséptico nas secreções do corpo e auxilia na regeneração de tecido nervoso.

FIGAPRO

Figapro é o suplemento alimentar mais utilizado no Brasil para auxiliar a eliminar gordura do fígado e melhorar o funcionamento do sistema digestivo.

Como usar o guggul?

A resina é a parte usada pela medicina. De cor amarela e fácil de ser extraída, costuma ser encontrada no mercado processada e em cápsulas prontas para o consumo. Embora mais difícil, é possível encontrar o guggul em pó para o preparo de chá. Apesar de suas propriedades medicinais, a Commiphora mukul/wightii não é fácil de ser encontrada, inclusive a espécie pertence à Lista Vermelha de Plantas Ameaçadas de Extinção.

Contraindicações e efeitos colaterais do guggul

Quando ingerido em excesso, pode causar diarreia, dores de cabeça, erupções cutâneas, menstruação irregular, náuseas leves e toxicidade hepática. Pacientes com doenças hepáticas, inflamatórias ou intestinais devem consumir com regularidade. O uso também é contraindicado para grávidas e lactantes. A resina pode interagir com outras drogas convencionais.

História e curiosidades

A Commiphora spp. é uma árvore pequena que atinge a altura máxima de 4 metros e possui uma casca extremamente fina. Seus galhos possuem espinhos e suas folhas tem o formato oval, são simples e pequenas com no máximo 5 centímetros de comprimento e 2,5 centímetros de largura. As flores são individuais e possuem cores que variam entre tons vermelhos e rosas, com quatro pétalas pequenas. Seus frutos são redondos, pequenos e ficam vermelhos quando maduros. A Commiphora spp faz parte da família Burseraceae.

Referências:
Commiphora mukul. Fitoterápico. Infinity Pharma.
Patil, V. D., U. R. Nayak, and Sukh Dev. “Chemistry of Ayurvedic crude drugs—I: Guggulu (resin from Commiphora mukul)—1: steroidal constituents.” Tetrahedron 28.8 (1972): 2341-2352.
Commiphora Mukul. Informe Técnico. Gamma.
Singh, Ram B., Mohammad A. Niaz, and Saraswati Ghosh. “Hypolipidemic and antioxidant effects of Commiphora mukul as an adjunct to dietary therapy in patients with hypercholesterolemia.” Cardiovascular drugs and therapy 8.4 (1994): 659-664.