Labaça (Rumex crispus): benefícios e propriedades medicinais

A labaça (Rumex crispus L.) é uma planta medicinal também conhecida como rumex, labaça-crespa, regalo-da-horta, cata-cruz, sorrel, messias-da-América (Oseille d`Amerique, em francês), yellow dock, dentre outros nomes populares. O gênero Rumex inclui cerca de 200 espécies de ervas anuais, bienais e perenes. Dentre os sinônimos botânicos se destacam a Rumex occidentalis, R. venosus, R. obtusifolius e R. sangineus. Pertence à família Polygonaceae.

Benefícios da labaça

A labaça é considerada um desintoxicante do organismo. Graças as suas propriedades especiais é indicada para melhorar a função dos rins, glândulas linfáticas, fígado e até do intestino, ao mesmo tempo que ajuda no processo de limpeza natural do corpo. Já foi usada para auxiliar a eliminar poluentes do organismo, inclusive metais pesados, como o arsênico. Também ajuda a eliminar o excesso de ferro armazenado no fígado, enquanto o deixa mais disponível para realizar outras funções importantes para o organismo.

Seus usos mais habituais são para casos de anemia, intolerância a gorduras, deficiência na absorção de vitaminas, artrite, gânglios linfáticos inflamados, diarreias derivadas de intoxicação alimentar, e diversas doenças da pele, como eczemas, acnes e erupções cutâneas. A labaça age como adstringente, laxante, febrífugo, purgantes, tônico sanguíneo, antibacteriano, colagogo (que aumenta a quantidade de bile no fígado) e adstringente. A Rumex crispus é composta de taninos, resinas, oxalatos, ferro e glicosídeos de antraquinona.

Como preparar a labaça

– Como chá depurativo, desintoxicante hepático e regulador das funções do intestino, deve se usar uma colher da raiz de labaça e uma xícara de água. Deve-se deixar esta mistura ferver por três minutos. A mistura deve ser tomada antes das refeições.

– Para combater problemas de pele, se deve usar três colheres de folhas frescas da planta e uma colher de glicerina. Os dois ingredientes devem ser amassados até formarem uma pasta. Ela deve ser colocada três vezes ao dia na parte afetada por acne, ou eczema.

– Pode ser usada em associação com outras ervas para o tratamento de outras doenças. Combinada com bardana (Arctium lappa), pode ser útil em casos de prisão de ventre e problemas na pele.

– Para combater problemas reumáticos ou alérgicos, é possível realizar uma infusão de labaça com urtiga (Urtica dioica). As duas plantas juntas possuem uma alta quantidade de ferro, tornando-as também ótimas para o combate à anemia.

Contraindicações e efeitos colaterais da Rumex spp

As raízes frescas desta planta não podem ser consumidas, são levemente tóxicas e podem causar náuseas e vômitos. As folhas frescas possuem alta concentração de oxalato de cálcio, uma substância que pode agravar problemas de cálculos renais e, por isso, devem ser evitadas por pessoas que já sofrem com essa doença.

História e curiosidades

O nome de gênero Rumex significa “lança” e o termo crispus significa “ondulado”, ambos em latim. As duas partes do nome remetem ao formato das folhas. A planta atinge cerca de um metro e trinta centímetros de altura. Seus caules são eretos e possuem estrias bem marcadas. Suas folhas possuem a base arredondada e as pontas agudas. As flores encontram-se dispostas uma sobre as outras e seus frutos possuem o formato ovalado.

A Rumex spp é muito encontrada em Portugal, desde a área continental do país até nos arquipélagos de Açores e na Ilha da Madeira, lugares onde posteriormente foi cultivada. Atualmente, a labaça é distribuída em quase todo o mundo, podendo ser observada nas Américas do Norte e do Sul, Nova Zelândia e Austrália. Se desenvolve muito bem, desde que o solo seja úmido ou próximo a locais com água.

Referências:
Rumex crispus. Projecto Biopolis.
Labaça-crespa. Biorede.
Labaças ou catacuzes (Rumex crispus L). Fraternidade Rosa Cruz in Lusitania.

Comentários

Comentar