Aipo (salsão): benefícios do chá e xarope

Aipo (salsão)

Conheça os benefícios, efeitos, indicações, preparações e propriedades medicinais do aipo-hortense (Apium graveolens), legume também conhecido como salsão.

Atualizado em 27/12/2023

O aipo (Apium graveolens) é uma verdura comestível que também pode ser usada de forma medicinal. A planta também é conhecida como aipo-cultivado, aipo-doce, aipo-do-Rio-Grande, aipo-hortense, aipo-silvestre (dos pântanos), celeri, salsão, salsão-selvagem, celery e garden celery (inglês). O aipo é uma das plantas mais versáteis na mesa dos brasileiros devido ao fato do vegetal ter todas as partes utilizáveis, incluindo suas folhas, talos, sementes e até mesmo as raízes.

Benefícios do aipo

O aipo é uma das plantas mais versáteis na mesa dos brasileiros devido ao fato do vegetal ter todas as partes utilizáveis, incluindo suas folhas, talos, sementes e até mesmo as raízes. Além de ser uma planta comestível muito presente na culinária brasileira, o salsão possui uma série de propriedades, incluindo efeitos antioxidantes, antipirético (febrífugo), revigorantes, alcalinizantes, laxante (leve), antipalúdica, expectorante, estomáquica, aperiente, estimulante, carminativa, diurético, depurativo do sangue e digestivo.

Até o século XVII, o aipo selvagem, de gosto amargo, era uma especiaria muito popular, sobretudo na culinária dos antigos romanos. A variedade consumida atualmente foi desenvolvida por jardineiros italianos da planície do Pó, localizado no Norte da Itália. O nome popular em latim Apium graveolens significa “cheiro forte”, em referência ao forte aroma da hortaliça. O aipo possui propriedades aperitivas, carminativas, diuréticas (quando consumido fresco) e tônicas. A erva já foi utilizada em diversos tratamentos alternativos, incluindo inibição de apetite, perda de peso e até mesmo reumatismo.

O vegetal é um rico antioxidante natural, vez que ajuda a combater os radicais livres que podem prejudicar as células do seu organismo. Além disso, é muito recomendado para o tratamento de problemas relacionados a falta de nutrientes no corpo, como, por exemplo, a falta de potássio e a anemia. Sua ação reguladora auxilia o sistema digestivo a funcionar de forma mais eficaz. É capaz de auxiliar no fortalecimento do sistema nervoso e ajuda no combate de doenças respiratórias (fadiga e bronquite, por exemplo).

Semente de aipo

As sementes do aipo são usadas em remédios homeopáticos para desintoxicar e limpar o organismo, além de serem um estimulante digestivo. Quando embebidas em óleo de amêndoa e massageadas nas articulações, as propriedades contidas na semente são úteis para aliviar dores de reumatismo, incluindo artrite e gota. A raiz age como diurético e pode ser consumida para tratar infecções urinárias e reduzir a ansiedade. O aipo também é útil na prevenção de escorbuto, xeroftalmia e reumatismo. A semente pode ajudar a acalmar os nervos e aliviar dor. É usada para ajudar na eliminação de ácido úrico. Consumida durante as refeições, auxilia na digestão de proteína. Em forma de cataplasma, compressa ou pomada pode auxiliar no tratamento de artrite ou gota. A Apium graveolens faz parte da família das Apiaceae.

Composição

Apium graveolens - AIPO; SALSÃO

Apium graveolens – AIPO; SALSÃO

O jeito mais popular de se consumir e usufruir das propriedades medicinais do aipo é em sua forma natural, vez que ele pode ser usado na preparação de diversos pratos, incluindo caldos, guisados, saladas e sopas. Além disso, é bastante usado como componente de sucos verdes. Consumido durante as refeições, auxilia na digestão de proteína. O aipo é composto de ácidos, açúcares, flavonoides, vitaminas (A, B1, B2 e C), sódio, cálcio, pentasonas, óleos essenciais, carboidratos, ferro, cumarinas, fósforo, manitol e niacina.

Chá de aipo (salsão)

Chá de aipo (salsão) - Apium graveolens

Chá de aipo (salsão) – Apium graveolens

Existem diferentes formas de preparo do chá de salsão (Apium graveolens). Além de ser um vegetal comestível presente na culinária brasileira, o aipo possui uma série de propriedades medicinais que podem ser aproveitadas em forma de chá de aipo medicinal.

Chá de folhas frescas

Existem diferentes formas de preparo do chá de aipo. A primeira forma de preparar o chá é ferver, por dez minutos, cerca de um litro de água juntamente com 30 gramas de folhas frescas. Em seguida adoce a bebida com mel e tome sempre em jejum. Outra forma de preparar o chá de aipo é usando as raízes.

Chá das raízes

A quantidade de água no preparo (1 litro) será a mesma, contudo, neste caso se deve usar cerca 40g de raízes. Após 10 minutos de fervura o líquido deve ser filtrado e armazenado. A ingestão recomendada é de cerca de três xícaras por dia.

Xarope de aipo (salsão)

O processo de fabricação do xarope de aipo é um pouco mais complexo e envolve a adição de outros ingredientes naturais, contudo, é o método ideal para quem deseja manter um medicamento natural pronto para consumo por mais tempo.

Ingredientes

Modo de preparo

No preparo, se deve misturar 5 gramas de raízes de aipo, 5 gramas de raízes de aspargo, 5 gramas de raízes de funcho, 5 gramas de raízes de gilbardeira 5 gramas de raízes de salsa, todas cortada em pequenos pedaços. Em seguida, coloque a mistura em um recipiente juntamente com um litro de água fria. O próximo passo é deixar que essa mistura fique em processo de maceração por 12 horas. Passado esse período, deve separar o líquido das raízes, reservando a substância obtida no processo.

Após isso, pegue novamente as raízes e misture novamente com água, mas, dessa vez com dois litros. Repita o processo de maceração por mais 12 horas. Após o período separe as raízes novamente e junte esse líquido com aquele primeiro que você reservou. Adicione dois quilos de açúcar e coloque a mistura para ferver em fogo moderado. Faça movimentos no sentido horário, tomando o cuidado para nunca deixar de mexer a mistura. Não existe tempo mínimo para essa etapa, você deve mexer a mistura até que o açúcar se dissolva totalmente. Após esse processo, o xarope de aipo estará pronto. O ideal é armazená-lo em um recipiente esterilizado dentro da geladeira. Desta maneira, você evitará que microrganismo se proliferem.

Contraindicações e efeitos colaterais do aipo

Apesar de não ter qualquer risco de intoxicação por excesso, a Apium graveolens não é recomendada para alguns grupos específicos de pessoas, no caso, pessoas que sofram com inflamações nos rins ou que sejam diabéticas, vez que a verdura possui grande quantidade de açúcares e cálcio, o que pode acabar prejudicando o funcionamento do organismo desses pacientes. Por isso é preciso cuidado na hora de ingeri-la. O ideal é buscar sempre a opinião de um nutricionista antes de incluir o alimento no cardápio, vez que apenas o profissional poderá avaliar as necessidades do seu corpo e estruturar uma dieta adequada.

Cuidados e precauções

O aipo é uma hortaliça que se deteriora com facilidade. Mantenha-o em geladeira em sacos de plástico, por até 2 semanas. Somente armazene depois de eliminar as folhas e talos murchos ou escuros. Tenha cuidado em acondicioná-lo em saquinhos separados porque o aipo absorve cheiro de outros produtos. Para mantê-lo fresco pode-se borrifá-lo com água fria.

Referências:
Kooti, Wesam, and Nahid Daraei. “A Review of the Antioxidant Activity of Celery (Apium graveolens L).” Journal of Evidence-Based Complementary & Alternative Medicine (2017): 2156587217717415.
Singh, Anubha, and S. S. Handa. “Hepatoprotective activity of Apium graveolens and Hygrophila auriculata against paracetamol and thioacetamide intoxication in rats.” Journal of ethnopharmacology 49.3 (1995): 119-126.
The Naturopathic Herbalist. Botanical Medicine For The Medical Student.
Pharmacopea das pharmacopeas nacionaes e estrangeiras, excepto a geral destes reinos, citadas nos regimentos dos pharaceuticos portuguezes de 1831 e de 1833: ou, Collecção de todas as formulas e processos dos medicamentos preparados conforme as pharmacopeas Bateana [et al.], Volume 1
Hortaliça não é só salada. Embrapa. Aipo | também conhecido como salsão.
Gregg, Susan. The Complete Illustrated Encyclopedia of Magical Plants, Revised: A Practical Guide to Creating Healing, Protection, and Prosperity using Plants, Herbs, and Flowers. Fair Winds Press (MA), 2013.
Stuart, M. “The encyclopedia of herbs and herbalism.” (1979): 204.
The Naturopathic Herbalist. Botanical Medicine For The Medical Student.
Pharmacopea das pharmacopeas nacionaes e estrangeiras, excepto a geral destes reinos, citadas nos regimentos dos pharaceuticos portuguezes de 1831 e de 1833: ou, Collecção de todas as formulas e processos dos medicamentos preparados conforme as pharmacopeas Bateana [et al.], Volume 1