Orquídeas: cuidados e dicas de adubação, exposição solar e regas

Existem milhares de espécies de orquídeas no mundo, inclusive no Brasil, país que concentra cerca de 10% de todas as variedades. Desta forma, antes de iniciar o cultivo de orquídeas, é necessário é identificar a espécie correta e saber sobre seu habitat natural, requisito essencial para o melhor desenvolvimento da flor.

Cuidados no cultivo de orquídeas

Após o colhimento das informações iniciais, é necessário se preocupar com a adubação, exposição à luz do sol e as regas. Cada espécie se desenvolve melhor em determinados recipientes (vasos, placas de madeira, xaxim ou fibra de coco), no próprio solo ou em terrenos pedregosos. Existem espécies epífitas (vivem sobre outras plantas utilizando-se apenas de apoio e sem dela retirar nutrientes e sem estabelecer contato com o solo). Quando introduzidas sobre árvores de grande porte, as orquídeas epífitas proporcionam beleza ao jardim.

A beleza, complexidade e diversidade das flores das orquídeas são inigualáveis e constituem a maior família de plantas com flores do mundo, com mais de 30.000 espécies e pelo menos 200.000 híbridos. As flores são encontradas em quase todos os habitats, vez que são extremamente adaptáveis ao ambiente. A maioria das orquídeas cultivadas é nativa dos trópicos e são epífitas. Suas grossas raízes brancas são especialmente adaptadas para absorver umidade e nutrientes dissolvidos.

Propagar orquídeas a partir de sementes é muito difícil, vez que ao contrário de outras sementes, as orquídaceas não contêm tecidos de armazenamento nutritivo. Para crescer, a semente deve pousar onde encontrará um tipo particular de fungo que pode penetrar em seu sistema radicular e converter nutrientes em uma forma utilizável. Para superar as probabilidades, uma cápsula de semente de orquídea normalmente desembolsa milhões de sementes microscópicas que podem ser transportadas a centenas de quilômetros da planta-mãe.

Adubagem

A adubagem deve ser feita em um período de 12 em 12 dias, principalmente quando as orquídeas se encontram na fase de desenvolvimento. Nesta fase a coloração deve estar com um aspecto de um verde bem claro (semelhante ao repolho) e as raízes com pontas mais grossas e destacadas (o que evidência seu desenvolvimento para a escavação da terra). Ao comprar orquídeas, é necessário verificar com o florista sobre detalhes da espécie em questão. Muitas espécies necessitam de suplementação durante todo seu ciclo de vida.

Exposição à luz solar

Quanto à exposição ao sol, é necessário ter cuidado com a exposição direta, lembrando que a maioria das orquídeas se desenvolve melhor em sombras ou locais em que o sol não incide diretamente. A maioria das espécies apenas aprecia os primeiros raios de sol matinais, que são mais fracos que o restante. Observado essas condições, escolha o melhor local para posicionar suas orquídeas. Como as orquídeas tropicais geralmente crescem no alto das árvores e não no chão da floresta, estão acostumadas a uma boa circulação de ar e muita luz. Tais espécies exigem uma alta intensidade de luz durante todo o ano.

Poda

Durante a poda se deve retirar apenas folhas doentes, mortas ou secas, além de hastes secas e novos brotos. Isso deve ser feito de forma manual, podendo utilizar uma tesoura de jardinagem pequena, esterilizada com fogo a cada novo corte (fator que evita o contágio para outras partes do vegetal). Tomando alguns cuidados, as orquídeas em sua maioria podem florir durante todo o ano.

Rega

Apesar da terra constantemente úmida ser o melhor solo para o desenvolvimento das flores, o excesso de água é perigoso e não traz nenhum benefício. Nas orquídeas de vasos, a retenção de água nos “pratinhos” pode ser muito perigosa para o desenvolvimento da orquídea. Prefira vasos com muitos furos (inclusive na lateral) para que as raízes possam respirar, sobretudo em vasos de barro e plástico (transparente). Outra dica é inclinar o vaso, vez que auxilia na drenagem. Pendurar o vaso (inclinado) também é útil para proteger as orquídeas de doenças, insetos e pragas. A rega deve ser realizada uma vez por semana. Caso o clima estiver muito seco e quente a incidência poderá ser aumentada.

Referências:
How to Grow Orchids. A Comprehensive Guide to Orchid Care. Gardeneres Supply Company.
Noble, M. (1987). You can grow orchids. McQuerry Orchid Books.
Pradhan, U. C., & Pradhan, S. C. (1997). 100 Beautiful Himalayan orchids and how to grow them. Primulaceae Books.

Comentários

1 comentário

Comentar