Dicas para criar um projeto de jardim de ervas medicinais

Arar o solo (ou preparar adequadamente as mudas), usar recursos naturais e favorecer a variedade vegetal são algumas soluções para preparar o terreno e diminuir o uso de produtos químicos em um projeto de jardim de ervas medicinais. Não é fácil fazer um jardim de ervas crescer naturalmente, mas é possível. Dando atenção a esses pequenos detalhes, o jardim de ervas pode ser bonito e barato.

Como planejar e preparar um jardim de ervas

O primeiro passo é fazer uma avaliação do espaço disponível, conhecer as características o jardim e definir que cultivar. É necessário calcular as dimensões do jardim, observar a exposição que ele terá a luz do sol, dentre outros fatores. Depois de determinar o objetivo é hora de preparar o jardim de ervas. Antes de colocar as mudas e/ou sementes, é importante remexer na terra (arar), para que o solo respire, rejuvenesça e fique mais fértil. Após isso, é aconselhável é adubar o solo utilizando-se de compostos naturais, estrume e restos de vegetais.

O próximo passo é escolher as espécies e analisar as características individuais do vegetal, observando os fatores como adaptação ao tipo de solo e exposição ao sol. Além disso, é preciso conhecer as características do clima e do vento do local. Algumas ervas são sensíveis a maresia em função da grande quantidade de sal no ar. Desta forma, prefira espécies nativas para não correr o risco de haver problemas de adaptação.

Como escolher as melhores ervas para o jardim

A casca do pinheiro utilizada no solo é opção barata e eficiente para para evitar a evaporação da água e proteger as raízes. Outra dica é colocar ervas como cebolinha e salsinha no meio do jardim, vez que elas exalam substâncias repelentes que afugentam insetos e inibem a ação de fungos. O anis e o manjericão são apenas algumas das ervas conhecidas por atrair insetos benéficos para o seu jardim. Dependendo da combinação, algumas plantas podem apresentar melhor desenvolvimento, como é o caso da cenoura. Algumas plantas não se desenvolvem bem perto umas das outras, como é o caso da abóbora e batata, pepino e sálvia. Rosas devem ser cultivadas separadamente umas das outras.

  • Hortelã – colher hortelã com freqüência estimula seu crescimento, contudo, ele deve ser cultivado em um vaso separado para não correr o risco de se tornar uma erva-daninha. A hortelã-pimenta necessita de mais água do que a maioria das ervas e necessitam de solos bastante úmidos, mas não encharcados.
  • Manjericão – atrai insetos benéficos e, quando cultivado próximo ao tomate, auxilia no seu desenvolvimento.
  • Salsinha – para estimular a salsa a brotar mais rapidamente, amoleça as sementes mergulhando-as durante a noite em água morna. A salsa ainda possui a vantagem de espantar fungos e insetos do jardim.
  • Salvia – quando as flores não são removidas, semeiam e podem desorganizar o jardim.
  • Tomilho – devem ser replantados a partir de sementes a cada dois ou três anos. Arbustos mais velhos são mais pobres em qualidades culinárias e medicinais.
Referências:
Herb Gardening Tips | Planet Natural Research Center.
Bremness, L. (1988). The complete book of herbs. Viking.

Comentários

Comentar