Abscesso: causas, sintomas, tipos e tratamento natural

Abscesso é o nome que se dá a um local onde há uma acumulação de pus, caracterizado por um fluido branco, amarelo ou esverdeado. Esse processo ocorre porque o sistema de defesa sistema imune recruta os neutrófilos, um tipo de leucócito responsável por destruir os antígenos como uma resposta inflamatória do corpo a um corpo estranho ou uma infecção bacteriana, fúngica, parasitária ou viral.

Onde ocorrem os abscessos?

As regiões mais comuns de serem acometidas são: rosto, axilas, braços, pernas, áreas ao redor do reto e da vagina, ao redor do dente, glândulas sebáceas e seios durante a lactação. Os abscessos também podem ser internos, o que o torna mais perigoso, visto que podem atingir órgãos vitais e se não forem tratados podem levar até a óbito. Geralmente o abscesso externo é drenado naturalmente. Nestes casos, os glóbulos brancos se reúnem em resposta e produzem enzimas para combater as bactérias, fungos, parasitas ou vírus invasores.

Os abscessos também podem surgir devido a obstrução das glândulas sebáceas ou sudoríparas, caracterizados por inflamações dos folículos pilosos que formam pequenas lesões na pele, resultando no chamado furúnculo. O abscesso estéril não ocorre por uma infecção, vez que pode surgir devido a aplicação de medicamentos injetáveis que não foram bem absorvidos, agulhas contaminadas ou drogas injetáveis. Em casos mais graves, os abscessos podem ser drenados com o auxilio de um médico.

Causas do abscesso

Muitos fatores causam os abscessos, mas a maioria é causada por bactérias formadoras de pus, como por exemplo, a Staphylococcus aureus, encontrada com mais facilidade na pele. Contudo, os abscessos encontrados em locais como ânus podem ser causados por diversos tipos de bactérias que habitam órgãos ou estruturas próximas, como o intestino grosso.Os sintomas são bem característicos, como vermelhidão ao redor do abscesso, dor, inchaço, temperatura elevada no local, presença de pus. Abscessos internos são mais difíceis de serem identificados e podem ter sintomas como febre e desconforto.

O diagnóstico é feito por um clinico geral ou dermatologista. Os abscessos externos são identificados pela analise visual no local e regiões próximas. Já os internos são necessários a coleta de uma quantidade do pus para que seja identificado a bactéria atuante. O abscesso na região do ânus é feito através de um exame retal. Os abscessos normalmente são eliminados através de drenagens, a hidroterapia de contraste é bem utilizada e consiste na aplicação de compressa quente alternando com compressas frias.

Qual o melhor tratamento natural para um abscesso?

Óleo de Melaleuca
O óleo de melaleuca é uma das alternativas naturais para o tratamento tópico dos abscessos.

A Hydrastis canadensis (raiz-amarela) é uma planta medicinal indicada para infecções fúngicas, além de fortalecer o sistema imunológico e deixar o organismo mais protegido contra doenças de origem microbiana. O óleo de melaleuca (Melaleuca alternifolia) também tem poder bactericida e fungicida, sendo muito útil no tratamento de problemas causados por bactérias, fungos e vírus. O óleo de alho deve ser aplicado topicamente na região afetada (externa), visto que reduz a inflamação e melhora a circulação sanguínea.

A Aloe vera e o neem-indiano também são indicados e são usados para diversos fins medicinais, incluindo o tratamento de abscessos, vez que são ricos em propriedades antibacterianas, antivirais e antifúngicas. Outros remédios homeopáticos como calêndula, beladona e sílica ajudam no tratamento. A acupuntura pode auxiliar no alivio das dores e a suplementação com vitaminas A e C, betacaroteno, zinco e clorofila são úteis e importantes para suprir a quantidade de nutrientes diários que previnem e combatem a formação de abscessos.

Cosméticos Naturais Cosméticos Naturais Produtos sem química para promover a beleza e saúde da pele.
Nutricosméticos Nutricosméticos Cápsulas nutritivas desenvolvidas para melhorar a saúde da pele e dos cabelos.
Fitoestrógenos Fitoestrógenos Fitoterápicos capazes de equilibrar as taxas hormonais e reduzir os sintomas da menopausa.
Aloe vera Aloe vera Cápsulas liofilizadas, cremes, loções e shampoos de Aloe vera.

Tipos de abscesso

Existem vários tipos de abscessos e eles podem acometer em diversas áreas do corpo, internamente ou externamente, entre os mais conhecidos estão:

Bartholin

As glândulas de Bartholin estão localizadas nos pequenos lábios vaginais e possuem função de lubrificar as vulvas. O abscesso surge quando o líquido
é aprisionado dentro do cisto de Bartholin e contaminado pela bactéria Escherichia coli.

Carbúnculo

Causado pela bactéria Bacillus anthracis, é mais comum na região superficial da pele, sobretudo em locais como costas e nuca. O carbúnculo é transmitido por produtos derivados de animais infectados pela bactéria e o homem pode ser contaminado ao ingerir alimentos, respirar ou por meio de uma lesão na pele.

Dentário

A bactéria se instala entre a raiz do dente e a gengiva e, caso não seja tratado, pode formar pus ao longo da raiz.

Hepático

Causado por amebas, bactérias ou parasitas que se disseminam no sangue e chegam ate o fígado.

Parafaríngeo, Peritonsilar e Retrofaríngeo

Quando a garganta esta inflamada, com amigdalite, por exemplo, as bactérias penetram nos tecidos mais profundos da garganta e formam os abscessos parafaríngeo ou peritonsilar. Esses tipos de abscessos podem comprometer as vias respiratórias.

Pilonidal

Algumas pessoas possuem um cisto pilonidal localizado entre o cóccix e alguns centímetros acima do ânus e caracteriza-se por uma bolsa que contém alguns pelos, fragmentos de pele, além de glândulas sebáceas e sudoríparas em seu interior. O contato com bactérias fecais pode causar uma infecção.

Psoas

Abscesso formado no músculo Psoas ou iliopsoas, músculo estabilizador e mais profundo do corpo. Geralmente a infecção se espalha a partir do apêndice, intestino grosso, ou trompas de Falópio.

Pulmonar

Cavidade do pulmão que contem pus originada por uma necrose e normalmente se desenvolve durante ou após uma pneumonia. Em casos mais graves, é necessário uma drenagem pulmonar.

Cura do abscesso

Geralmente o abscesso externo é drenado naturalmente. Nestes casos, os glóbulos brancos se reúnem em resposta e produzem enzimas para combater as bactérias, fungos, parasitas ou vírus invasores. Os glóbulos brancos dividem os agentes infecciosos em pequenos pedaços que são transportados para a corrente sanguínea e logo são expulsos do corpo. Durante o processo, as enzimas podem digerir parte desses tecidos infectados e o líquido consequente conter os restos de agentes infecciosos que são os responsáveis pela formação do abscesso contendo pus.

Quando o abscesso é drenado corretamente, some ao passar dos dias. Apesar disso, pessoas com situações recorrentes devem ficar mais atentas e buscar fortalecer o sistema imunológico para que não seja contaminado por outras vezes. Tal prevenção é importante porque existe o risco do abscesso romper na corrente sanguínea e se espalhar pelo corpo inteiro, levando a consequências graves. O uso de antibióticos em abscessos mais profundos e de uma higienização dos ferimentos mais superficiais impedem a proliferação de bactérias, que é facilmente tratada.

ELIMINA AS CELULITES COM EFICÁCIA CelluliFree Anti-Celulite Solution
COLÁGENO HIDROLISADO DE ALTA QUALIDADE Be Slim Colágeno
MELHORA A SAÚDE DA PELE E REMOVE MELASMAS Be Beauty Skin Care
EVITA A QUEDA DOS CABELOS Hair Up
PODEROSO CHÁ PARA O TRATAMENTO DO CÂNCER Crajiru (Pariri) Folhas Para Chá
Referências:
Duke, James A. The green pharmacy: New discoveries in herbal remedies for common diseases and conditions from the world’s foremost authority on healing herbs. Rodale, 1997.
Tratamentos Caseiros. Green Me.
McPhee, S. J., Papadakis, M. A., & Rabow, M. W. (Eds.). (2010). Current medical diagnosis & treatment 2010. New York:: McGraw-Hill Medical.
Alternative Medicine.com
Longe, Jacqueline L. “The Gale encyclopedia of medicine.” (2015).

Comentários

Comentar